Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

A história repete-se

Podia ler este relato aqui perfeitamente tirado da trilogia do Século de Ken Follet, mas não é real... não se sabe o que aconteceu, algo aconteceu, quem o fez, não se sabe... o bode expiatório é claro que são os refugiados, mas tanto podem ter sido os Neo-Nazis para depois virem justificar a maldade contra a humanidade.

Triste ver Colónia uma cidade onde tenho familiares, assim... com bandeiras com símbolos Nazis a passear de lado a lado com uma bandeira Alemã.

E a história repete-se, mas desta vez não estou só a ler num livro ou a estudar na aula da história. Desta vez serei eu a responder as questões dos meus netos - "Avó já era nascida não era, o que aconteceu? Como aconteceu?"

E eu não sei responder, começou como?! Com boatos, com um ou outro refugiado mal intencionado, tal como todo o ser humano é?!

Sei que para os residentes deve de ser complicado manter a calma e a frieza, mas é tentar pensar e deixar que as autoridades investiguem, e depois até prova em contrário temos de assumir que as pessoas são inocentes.

Somos civilizados, não podemos somente linchar, matar, ou expressar palavras de ódio por medo gerado por quem?!

Conflitos, abusos sexuais, sempre existiram, juntem álcool e a coisa dará de sempre para o torto... dá para o torto em jogos de futebol, dá para o torto todas as noites pelas ruas fora... contudo aqui foi supostamente numa larga escala. Todos sabemos o efeito do pânico, não digo que as vitimas estejam a mentir, mas no meio do pânico ver um negro é agora um árabe, um homem com barba é também um árabe.

Até pode ter sido sim, mas tantos?! Em tão larga escala....

Apesar de estar de férias

Não posso deixar de estar revoltada com os comentários xenófobos dos portugueses no Facebook. Quando viram a imagem da criança morta na praia. Houve revolta. Que o mundo devia de agir e sentir vergonha. Agora que Portugal vai receber refugiados tal e igual o resto da união europeia, é ver estes mesmos dizer ai e os nossos que vivem na miséria e se tiverem de ir a procura de uma vida melhor ninguém lhes dá nada. Ai e os nossos sem abrigo. Sim tudo muito válido. Mas não esquecer eles não vieram em busca de uma vida melhor. Estão a lutar pela sua vida . Não pelo dinheiro. Não pela comida. Voltar para eles é voltar para a guerra e para o medo constante de morrerem ou verem os filhos morrer. Felizmente a maioria de nos nem sonha o que é uma guerra e espero que munca o saibam. Mas se olharem para o holocausto muitos de vós diriam sim eu recebia em casa um judeu ou uma criança do campo de concentração. Mas agora que são muçulmanos o discurso já é que são terroristas e só querem viver a borla? Menos muito menos. Quanto aos sem abrigos e a miséria que temos no nosso país. Quantos de vos vira a cara aos sem abrigos. Quantos de vos da um prato de sopa a quem precisa. Mudem vocês e mundo fica melhor. Sempre ouvi dizer isso. Se sou perfeita não. Sei bem que podia fazer mais pelos nossos. Mas também sei reconhecer que temos de agir e ajudar os refugiados e acabar com a guerra na síria e lutar cintra o estado islâmico.

Coisas que me tiram o sorriso dos lábios

Ir beber café ao bar, ver nas notícias crianças ilegais refugiadas na Grécia, a chorarem, mas aquele choro que nenhum pai deveria de ver nos seus filhos. Choro silencioso, de tristeza e medo. Imagens que mais parecem tiradas de um campo de concentração. 

Depois a notícia de que uma menina de 11 anos acabou de ser mãe, fora violada pelo padrasto ou namorado da mãe. 

E a seguir imagens de Passos Coelho ao lado da mulher de férias no Algarve, e o que vi foi uma amor maior que a vida... ele a apoiar a mulher que caminhava de muleta e visivelmente debilitada e cansada. Olhando para fotos do que ela era, para o estado em que está. Realmente o Cancro é a pior doença que existe, para o combater é preciso a pessoa quase morrer para ter a sorte de ressuscitar novamente.