Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

O problemas de imagem e as redes sociais

Já há algum tempo que sigo alguns youtubers, os primeiros foram os Sacconejoly, na altura estava de licença de gravidez de risco e dedicava muito tempo a internet. Ao longo do tempo, notei que a fama paga um preço muito elevado. Para a além da falta de privacidade, o casal sofreu ameaças, perseguições de fans maldosos e muitos troolls a comentar.

O troll da internet, é aquela típica pessoa a quem a vida nunca lhe corre bem e tem de ficar a cuscar e a dizer mal da vida das outras pessoas, pura inveja. Típico das aldeias, viam-se antigamente muitas velhotas sentadas na beira da estrada ou no passeio a controlar a vida de quem lá passava. 

Contudo com o mundo da net, estes Trolls modificaram-se, munidos de um computador, de um sem número de redes sociais, de famosos You Tubers a exporem algumas partes das suas vidas, e eis esses queridos frustrados a descarregar comentários maldosos por todo o lado. 

Mas para mim quem é o maior alvo destes ataques é e sempre será as mulheres, e muitas vezes por parte de mulheres que é a coisa mais triste que o meu sexo pode fazer. 

Ai tu não amamentas-te então bora lá dizer barbaridades como não sabes o que é ser mãe, protegidos pelo ecrã. O que fizeste uma cesariana de livre vontade, bora lá enterrar-te viva.

Engordas-te como um camelo na gravidez, bora lá dizer que é bem feita, que é má mãe porque não pensou na vida do bebé. Se fazes exercício e cuidas-te então bora atacar. 

Perdes-te um bebé as 11 semanas, bora dizer que estas bue gorda nos vídeos e acabar com resto de auto-estima que a pessoa tem. 

Se antes a doença da minha geração era a famosa bulimia e anorexia, agora estas doenças tem uma escala ainda de maior proporção. Na minha adolescência eu preocupava-me em ir a algum lado que tivesse alguém conhecido e tivesse de me expor, tipo piscinas municipais, burra tinha cá um corpo.... mas por exemplo ia na boa a praia com a minha mãe sem sentir vergonha. 

Hoje em dia com facebook, instagram e tudo mais, a escola e demais vão connosco a todo o lado. Ok dizer que só se mete nas redes porque queremos é tudo muito giro, mas quem de facto não tem facebook e de vez em quando põem lá fotos, principalmente fotos de férias, festas e eventos... tudo para fazer inveja ao próximo e quando fazemos inveja o que acontece pois atraímos trolls.

Eu imagino as adolescentes de hoje, como deve de ser difícil lidar com a popularidade na escola e via redes sociais e pressões que sentem diariamente.

Agora triste é o mundo em que vivemos, quando pessoas adultas, supostamente com inteligência emocional, atacam uma pessoa que passou por um aborto retido as 11 semanas, sim ela expõem parte da sua vida mas isso nunca deveria de dar o direito a ninguém de lhe dizer que é gorda, que fez por merecer a perda do bebé, que não gosta dos filhos de forma igual. Enfim as barbaridades que já li... mas este vídeo realmente fez-me perceber que a humanidade esta perdida e sim parece um velho do Restelo. 

 

 

Dia mundial das redes sociais

Ouço na rádio alguém falar sobre o perigo de jovens usarem as redes sociais sem o controlo parental, que por vezes os jovens postam fotos e vídeos sem se aperceberem que ficará registado para sempre na sua pegada virtual e qual a exposição e consequências que isso lhe podem trazer... e eu penso para mim não me parece que seja só um problema dos jovens, quantos adultos vejo a colocarem fotos dos filhos em todas e quais queres circunstâncias. Sem pensar na privacidade deles?! Eu não coloco foto nenhuma da M de rosto ou que alguém a consiga reconhecer, não enquanto ela não souber o que é e me der a sua permissão. Não sou contra fotos de crianças com 4 e 5 anos ou mais... porque muitos pedem a mãe e ao pai e gostam e cabe aos pais ver a quem estas fotos estão acessíveis e se lhe protege a privacidade ou não. 

Tudo o que eu coloco aqui no blog sobre a M e a nossa vida é ponderado, podem achar que conhecem tudo sobre mim e o que me vai na cabeça, ou sobre a M e a nossa vida... mas é errado o que vocês vem aqui passa por um filtro, passa apenas por registar momentos que eu gostaria de relembrar... e que não acho que comprometam a minha filha no seu futuro. Sim sabem que ela tem alguns problemas de saúde, mas não é nada que eu não ouvisse a minha mãe dizer a todas as amigas e afins. Aliás eu fui ao cabeleireiro este fim de semana e a cabeleireira da minha mãe sabia que eu tinha sido operada o ano passado, e não a minha mãe não usa as redes sociais, trata-se apenas de comunicar e desabafar. 

Da mesma forma que eu vejo que a maior parte dos bloggers tem mais cuidado com o que expõem dos filhos (quando tem certa idade, não falam muito de problemas concretos da escola e da sua vida) do que muitas vezes os pais no Facebook, que até as notas dos filhos põem... um pouco de mais não?! 

Como eu um dia vi alguém dizer, a certos perfis no Facebook que sei basicamente tudo o que a pessoa fez no seu dia, o que comeu, onde foi, o que vestiu, o que os filhos levavam na lancheira, como iam vestidos, onde passaram férias, o primeiro xixi do filho no bacio (em foto) e o primeiro cocó (em foto também)... enfim... acho que num mundo digital temos de ter sempre um filtro dentro de nós e pensar bem no que estamos a partilhar. E acima de tudo quando os filhos tem idade saber partilhar primeiro com eles o que eles acham bem ou mal de partilhar. 

 

Dá muito que pensar...

Este artigo aqui do público, um debate sobre o que expor ou não sobre os filhos que lutam contra o cancro. 

Compreendo os pais que desabafam nas redes sociais e mostram mais sobre o que passam os filhos, claro que compreendo isso, neste caso é online talvez seja esse o problema, porque que pai quando é abordado por um conhecido e pergunta como vai o teu filho? Não lhe dá as vezes informações sobre o seu filho que se calhar ele gostaria que ficasse no privado?! 

Quantos colegas meus me dizem que o filho está com problemas na escola, será que o filho se soubesse que a mãe ou pai desabafou comigo sobre um problema do filho, este iria concordar?! 

Claro que um blog ou uma página do facebook as coisas tomam outra dimensão. É preciso para quem tem blogs e Facebook ter um constante censor de escrita... pensar muito bem no que dizer e no que partilha com o mundo. 

Ao ler isto pensei no que divulgo sobre a M e os seus problemas de saúde, e faço apesar de algumas pessoas já saberem quem é a M e o B e a Niki. Faço porque numa altura que eu estava cheia de medos e receios, foi no Facebook do Pai da Francisca que consegui ver para além da doença, para além do problema, falei com ele por instantes em privado no Facebook. Foi a ele que fiz umas perguntas difíceis, que eu e o B já tínhamos feito uma ao outro, a resposta que me foi dada por aquele pai fez-me ver para além da doença, para além dos problemas e aproveitar todos os momentos. 

A lição que aprendi foi mesmo tendo uma menina especial, os outros pais também vivem na incógnita de quanto tempo os filhos vão viver, se serão ou não saudáveis, se terão problemas no futuro ou não. Simplesmente desconhecem e vivem na ignorância. 

Quem tem um filho especial, tem de aprender a viver, mas a lição de vida que o Pai da Francisca me mostrou foi que existe vida sempre, e que devemos de a viver da melhor maneira possível... e sim a Francisca e a família dela foram ao Inferno e voltaram literalmente, quase com um ano a Francisca precisava muito de um transplante de fígado para poder viver, viveram momentos que nenhum pai ou filho merece viver... mas o pior passou felizmente... 

Sim ele é criticado por partilhar a vida da filha, será que a Francisca daqui a uns anos vai gostar de se ver exposta, não sei... é algo que o Pai e Mãe terão de explicar que ela ajudou algumas pessoas a viver melhor a suas vidas ou a lidar também com doenças semelhantes. Se ela concordará ou não isso só o futuro dirá, mas digam lá quantas pessoas não concordam com algo que os pais fizeram ou disseram?! 

E foi por isto que decidi criar também um blog, fui alertada por quem me conhece de que não deveria partilhar certas coisas. E agora sempre que publico algo tento sempre pensar em tudo o que estou a escrever.