Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

O que queremos para os nossos filhos

No outro dia ao almoço uma colega falava da filha e de como ela era boa a disciplinas que envolvam decorar e lógica, adora biologia e queria ser dentista ou bióloga no futuro. Eu sorrio e digo que seja dentista. 

Ela responde que seja aquilo que lhe faz feliz e o que quer, que ir atrás de uma carreira por dinheiro só faz de nós frustrados... calei-me e sorri, sim é verdade mas também é verdade que tirar um curso e não conseguir nada dele nos faz igualmente sentir falhados e frustrados, e não sou só eu a sentir-me assim, quantos de nós por este mundo fora tiramos uma licenciatura ou mestrado repleto de sonhos que acabaram por cair por terra?

Depois outra colega diz, claro se formos bons no que somos tudo se arranja, tenho imensos amigos com bolsas de doutoramento em biologia e fazem investigação. 

Eu mais uma vez sorrio por dentro, claro nem sabem da realidade por detrás dessas bolsas, que são por tempo limitado e que o projecto onde estas muitas vezes exige mais anos e que sim eu tenho muitos colegas que acabam por estar uns quantos meses sem receber nada zero. Lembro no meu estágio de ver muitos colegas mais velhos frustrados com o que faziam, adoravam investigar, mas investigar em Portugal não paga as contas e chegava a uma altura na vida onde querem ter uma casa, um carro e filhos e vivem sempre no limbo de não ser considerados por ninguém como trabalhadores mas sim como bolseiros e bolseiros para um banco é igual a seres estudante. Ou tinham um marido ou mulher noutra área ou uns pais com bastante dinheiro e ai sim podiam investigar sem pressão ou ir para fora. 

Não se enganem, eu amava a área da investigação, e garanto que tive proposta para ficar no IST com uma das chefes mais difíceis da investigação científica, mas ela não tinha nenhuma bolsa para mim e sugeriu eu ficar por lá a ajudar nos outros projectos a publicar como co-autora até ela me arranjar uma bolsa. 

Eu que precisava de um ordenado tive de recusar e não consegui nada pago até que recorri a outras áreas que não a minha. Portanto aquela teoria de que se gostares e fores bom as portas se abrem não é verdade. 

Depois falaram em gestão que dava rios de dinheiro e eu sorri por dentro, porque tenho uma irmã licenciada nessa área que teve de ir para fora para ser reconhecida e luta diariamente e trabalha imenso para ter o ordenado que tem. 

 

Por isso o que posso eu dizer a minha filha quando for a altura dela escolher o que quer quando for grande, sem dúvida que lhe vou dizer escolhe o que o teu coração disser mas lembra-te não é o canudo, ou teu curso, ou a falta dele que te definem podes ser muito boa noutras áreas que nunca te lembras-te. 

Isto é o que vou lhe transmitir, porque frustrados a muitos e muitos seguiram o que lhe ditava o coração.