Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Ora aqui está...

Eu sempre concordei com as provas ou exames que os professores teriam de desempenhar, só não concordava era ser apenas para quem tem menos de 5 anos de serviço, acho que isto deveria de ser extensível a todos os docentes, sim porque temos de garantir que os nossos filhos estão a ser ensinados realmente por quem entende da matéria e sabe ensinar. 

Quantos de nós não tivemos professores que estão ali só a debitar o que vem nos manuais e fazem exercícios que vem nos livros de apoio ao professor e afins. E quando é para tirar dúvidas recebemos respostas confusas, porque o próprio professor parece que não sabe do que está a falar. 

Sim quase que aposto que quem me lê já deve de estar a abanar a cabeça e a dizer sim senhores é verdade. 

Os resultados saíram e foram vergonhosos, podiam se ter preparado melhor, e na televisão ouvi só um monte de desculpas que os próprios alunos deles dão, ah mas o enunciado tinha erros, ah mas não nos indicaram bem os conteúdos que iam sair para nos prepararmos como deve de ser e afins e só choradinhos... 

Gente eu também me senti assim n vezes enquanto estava na escola e na faculdade, mas se falhava era por minha culpa, porque não me preparei bem. 

Ora o trabalho de um professor é estudar, ensinar e estar preparado para a evolução da matéria. É preciso vocação e aptidão para tal. E um dos motivos pelos quais o ensino está como está é porque as médias para entrar para os cursos de ensino eram vergonhosos. E como eu sei meus amores simples eu entrei na minha segunda opção que era o ensino de ciências da natureza e tinha a média mais alta da turma, entrei com média de 15 valores... a maioria entrou em primeira opção e tinha médias de 12 e 11 valores, e a biologia tinham médias de 14 valores e eu tive média de 18 valores em Biologia. 

Tive apenas meio semestre lá, porque depois entrei na segunda fase para o que eu queria e o que eu reparei meu amigos era escandaloso, da minha turma... havia uma miúda super tímida que queria ser professora, tinha pânico de falar... depois os outros mal sabiam o básico de biologia quanto mais de matemática... Sim a matemática era da mais básica que havia... sim era super fácil, era matemática do ensino básico e porque meus amores, porque ali podia se entrar com a opção de Línguas... espantem-se alguém da área de línguas podia entrar para tirar uma licenciatura em ensino de Ciências da Natureza, alguém que a última vez que teve biologia, química ou matemática tinha sido no 9º ano, tinham se passado 3 a 4 anos... e por isso como essas pessoas tinham dificuldades a passar na cadeira de matemática porque não tinham tido a matemática difícil que é dada ao agrupamento de ciências, tinham de ter um refresh no primeiro ano do que nos foi ensinado ao agrupamento de ciências no secundário. E meus amorecos eu entrei para uma das melhores faculdades do país... e noutra faculdade muito conceituada também na mesma licenciatura de ciências da natureza, os critérios de ingressão era dos mais fracos que haviam. 

E depois esperavam o que? Quando se baixa a fasquia para que os alunos ingressem nesses cursos, quando se baixa a fasquia no dito curso, porque quem lá entra não sabe nada de nada dos assuntos básicos da área, o que se pode esperar destes futuros docentes?!

Por isso sim, venham mais provas, com melhor organização mas mais abrangentes ainda... porque existem profissões exigentes e o ensino é uma delas... uma pessoa não pode simplesmente tirar o curso e parar no tempo e nunca mais rever a matéria... e infelizmente a prova dos nove ta tirada, imensos docentes (houve provas em que mais de 60% chumbaram) com menos de 5 anos de serviço não sabem a matéria e não sabem conceitos básicos de ensino.