Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Espelho meu espelho meu

Haverá alguém mais parvo que o Pedro Arroja, só tenho pena é da mulher dele que coitada sem um homem não sabia o que fazer.

Pois olha eu, se o meu marido não me disser o que tenho de fazer para o almoço e jantar, e o que vestir e o que devo fazer, e se não for ele a controlar as minhas contas, ui nem para comer um prego na esquina conseguia, porque as mulheres são totalmente desprovidas de cérebro certo... e coitados dos homens solteiros, sem uma mulher para os educar, são uns bêbados que só sabem conduzir em excesso de velocidade.

Ui então os pretos, esses só fazem sexo e nem querem saber das mulheres e dos filhos, é tipo os leões na selva estão a ver? Não então o leão dorme todo o dia, só come se a leoa lhe trouxer comida e passa o dia a fazer reproduzir-se excessivamente.

 

Se querem ler mais umas pérolas de sabedoria de um economista demente leiam aqui...

E por...

...ler isto, lembrei-me de um post que ando para escrever a séculos. Cá no local onde trabalho existe uma papelaria, antes pertencia a um franchising e tinha dois funcionários do mais simpático que existe. Como  viam-me a comprar a revista sábado pelos livros, um dia dizem-me "sabe se quiser só o livro pode comprar sem problemas. Existem pessoas que não os querem e vendemos só a revista que é permitido, e portanto podemos vender esses livros em excesso a si". E eu boa em vez de dar 1€ mais o preço da revista, comprava só o que me interessava. 

Claro a papelaria fechou porque o franchising também fechou em todo o Portugal, e durante muito tempo ficamos órfãos de um local onde pudéssemos ir comprar o jornal e revistas da moda, comprar pastilhas e raspadinhas e euro milhões. 

Passado uns meses a papelaria abre para alegria de todos os funcionários, com muito mais material giro e bonito para se comprar tudo uma maravilha excepto.... a dona e a funcionária. 

Primeiro fecham a loja a hora de almoço, logo nunca dá para nós funcionários depois de beber a bica ir ver as notícias. 

E agora vem o lado negro que me faz odiar ir a essa papelaria:

Entro eu para comprar uma saqueta de cromos e engano-me e digo:

- Uma caderneta de cromos animais?

- Caderneta de cromos?! 

- Sim!!

- Não temos...

- E eu tem sim esta ai atrás de si...

- Oh menina isto é uma saqueta e não uma caderneta não sabe a diferença - atenção eu trabalho num local onde por acaso ando de bata branca e a maioria das pessoas trata-me por Dra. se bem que eu não o sou. E também não se fala assim para ninguém. 

 

Bem ignorei apesar de me ter sentido humilhada, este episódio foi com a funcionária. 

Passado uns dias vou lá e vejo a dona e cometo o mesmo erro, eu sei sou uma totó 

- É uma saqueta de Cromos..... 

 

Mais uma vez o tom recriminatório e o olhar a julgar-me e a pensar e esta é Dra. e não sabe a diferença entre uma caderneta e uma saqueta. 

 

Passado uns dias vou comprar uma raspadinha, vou para raspar e Dona grita comigo

- Aí não, raspar é na zona verde dos jogos.

- Desculpe não sabia -  juro fiquei parva nunca em lado algum fui obrigada a raspar num local e mais nem sequer havia sinalização. 

 

Passado uns tempos vou de novo as raspadinhas e só tinha uma nota de dez euros e compro uma raspadinha de 1 euro.

Dona : Não tem mais pequeno

Eu : Não se tivesse, claro que lhe dava. Mas o multibanco não dá moedas. 

Dona: Para a próxima não vendo raspadinha de 1 euro se não tiver moedas...

 

E pronto foi a última vez que lá entrei, o meu maridão já disse para eu ir lá com uma nota mais elevada e pedir uma raspadinha de 1€ e depois se ela vier com o mesmo discurso escrever no livro e fazer queixa aos jogos Santa Casa (que pelo que o marido disse, leva o assunto muito a sério e fiscaliza este estabelecimentos). 

 

Eu acho inacreditável, quem é que abre um estabelecimento e depois é do mais antipático com tudo e todos? Sim já vi lá doentes e familiares entrarem e verem as revistas e levarem com um precisa de ajuda, num tom que quer mesmo dizer mas está aqui só a ver ou vai comprar...

Já vi uma senhora entrar lá pedir uma raspadinha e dizer que quer uma como a do dia anterior que lhe deu 20€ e as idiotas nem um sorriso deram de volta.

 

Eu se tivesse uma papelaria iria adorar falar com os clientes, meter-me com eles, ter clientes fieis que são os funcionários, saber o que compram sempre e já separar de lado para quando os vir entregar logo. 

Deixar as pessoas à vontade para falarem comigo, mesmo que seja sobre as notícias, mais depressa a pessoa compra o jornal do que se não se sentir a vontade de o olhar. 

Já ouvi a dona dizer a funcionária que qualquer dia tira os jornais da entrada onde estão expostos porque está sempre tudo mexido... se querem saber as notícias a borla vejam na tv... 

E desse lado já vos aconteceu?

 

images (12).jpg

 imagem tirada da net