Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Aquilo que já suspeitava

A uns 4 ou 5 anos, tinha eu 58 kg e sentia-me mal, via as fotografias e pensava isto não pode ficar assim. 

Contudo deixava-me estar, até que uma médica de clínica geral do privado a quem consultei pelo colesterol e má circulação, me diz "Tem de emagrecer, vamos ver se o colesterol é de si ou da alimentação". 

E eu disse ok, vamos até porque lhe quero provar que não é do que como. 

Fiz uma dieta super restritiva, em 6 semanas perdi 8 kilos e só não perdi mais porque eu disse basta chega, sinto me mal, ando deprimida. 

Basicamente só podia comer alguns legumes ou vegetais, e nunca os misturar... até a sopa era controlada... 

Sim fiquei com o corpo que queria, parecia a N de outros tempos. Mas rapidamente a N voltou a engordar mesmo não cometendo muitas asneiras, sim confesso que as fazia, mas o que eu comia não me parecia ser o suficiente para aumentar o peso. E voltei aos 58kg.... e depois fui mãe e agora peso 66kg acho eu, que briguei com a dita e ela esta sem pilhas e eu nem quero saber. 

O marido diz que me acha mais magra, eu ando a comer melhor e em menos quantidade, mas não volto a entrar numa de dietas. Até porque sempre suspeitei e sempre me lembro do meu professor de nutrição dizer que os nossos genes de sobrevivência falam mais alto que qualquer dieta. O nosso corpo sabe se adaptar a períodos de carência fazendo diminuir o metabolismo... menos comida lhe dão menos kcal ele vai gastar... e se pensam que ele vai as reservas, vai sim mas depois quando voltarmos a comer qualquer coisa mais calórica ou com hidratos de carbono, o corpo vai trabalhar mais depressa para as reservar. 

Por isso eu já suspeitava que as dietas não servem para nada, só com uma alimentação saudável e exercício físico regular. 

E saudável digo para incluir de tudo, com moderação. E agora um "estudo" feito com os ex-concorrentes do Biggest Loser veio confirmar a triste realidade que eu já suspeitava, de que o metabolismo destes concorrentes baixou imenso, o caso mais dramático foi de um ex-concorrente cujo metabolismo diminui 800 kcal do metabolismo inicial, ou seja queima menos 800 kcal do que na altura que entrou estando obesos. 

Sim o exercício físico em moderação faz acelerar o metabolismo, mas neste programa o exercío e a perda de peso não tiveram moderação, muito menos a alimentação, que era igual a quem faz dieta mas sem exercício físico excessivo. Só assim se conseguiria perdas de 8 a 30 kg numa semana como se viu neste tipo de programa. 

Estão a ver o mal que isso fez ao corpo. Quando temos peso a mais é normal pensarmos que queremos soluções rápidas, mas isso é para esquecer, o nosso corpo não ganhou 8 a 10 kg em 2 meses ou menos, ganhamos esse peso de forma gradual.... e por isso mesmo a perda de peso deve de ser muito gradual. 

Já a tempos li num local qualquer que o peso ideal a perder deve de ser no máximo 1kg por mês, o que equivale a 8 meses ou 10 meses para perder os tais 10kg.... mas esta é a única forma de o corpo não se sentir ameaçado. 

E perguntam vocês então mas como isso se consegue, eu pergunto o mesmo... é um equilíbrio muito difícil, mas por exemplo devemos de tomar um bom pequeno almoço, almoçar bem e a noite comer uma refeição mais equilibrada e aqui sim cortar nos hidratos de carbono, ou comer sopa. Retirar os doces, mas permitir comer um chocolate ou doce ao fim de semana... acima de tudo fazer mudanças alimentares graduais. 

Quando falei aqui no hospital com uma nutricionista para me dar uma dieta, ela disse comer pouco várias vezes ao dia, retirar bolos e comida rápida da ementa... comer sopa antes da refeição e colocar 3 colheres de sopa de arroz ou massa no prato e encher o restante de proteínas e de legumes. Jantar sempre sopa com uma fonte de proteína. Basicamente era imensa comida... questionei e ela disse desde que seja grelhados ou comida com pouca gordura vai perder peso gradual e é isso que se quer. 

Por isso a portas do verão, altura das mil dietas, de ver pessoas a comer frango grelhado e couves de bruxelas diariamente... sem comer um único hidrato de carbono a não ser a papa de aveia (sim sigo uma blogger e passou uma semana a comer isto)... pensem sempre no mal que puderam estar a fazer ao vosso corpo e de que ele precisa de tudo um pouco. 

E sim há quem tenha o metabolismo mais rápido e há quem tenha o mais lento, a quem tenha pneus e outros que seja palitos andantes... somos todos diferentes e muitas vezes a obesidade não tem nada haver com o que se come, mas sim com a genética do nosso corpo. 

É o que eu digo, não podemos comer nada

Agora é o atum e o salmão que são potenciais cancerígenos, daqui a nada vamos descobrir todos que comer comida saudável não é assim tão saudável quanto isso.

 

Pessoal metam na cabeça uma vez por todas, cancro sempre existiu, nunca houve tantos métodos de diagnóstico para ele, muitas vezes as pessoas morriam por morrer... E agora com tanto mediatismo a volta do cancro é normal sentirmos que irra todos morrem com o cancro.

 

Querem saber a má notícia, sério, agarrem-se a cadeira sim, é uma notícia tão forte como a do pai natal não existe.

 

Minha gente, vamos todos morrer, ou de ataque cardíaco, ou com cancro, ou com diabetes, ou um AVC, ou com pneumonia, ou com uma infecção qualquer.

A realidade é esta todos tem de morrer, mas por mim podem continuar nesta lufa lufa de agora como isto e agora isto já não nunca ilusão de assim conseguem a imortalidade, mas infelizmente ela não existe e a velhice é dura e triste... e faz doer os ossos, e a alma... e é de uma solidão tremenda ficar a contar os dias para a o dia da morte porque todos os que conhecíamos morreram e os filhos estão muito ocupados.

Algo mudou

Lá na escola, não sei se ouviram algum zumzum que estava insatisfeita, mas assim do nada a educadora passou a elogiar a M...a ignorar os descuidos já que agora é só o cocó que ela se esquece.

E milagre perguntei em Dezembro sobre que aniversários havia e disse-me os de Janeiro e disse ah mas sabe que podem não trazer bolo e depois a mãe gasta dinheiro a comprar ou a fazer um para a M... e eu disse não se preocupe com isso.

Ontem recebo um mail da educadora a relembrar-me que hoje ia haver lanche da aniversariante para eu trazer um "miminho" para a M comer.

Água mole em pedra dura tanto bate até que fura...

 

E coincidências das coincidências a M começou a falar muito mais agora que fizemos o desfralde... até lá na escola, basicamente ela devia de estar muito melindrada por ter ficado no grupo dos meninos com fraldas que eram só 4.

E agora o que comemos??

Soja  - transgénica e má.

Leite - é mau

Porco - é carne gorda e má, mas agora também possivelmente cancerígena 

Vaca -  carne vermelha comer em moderação mas agora é considerada como possivelmente cancerígena

Salsichas, carnes picadas embaladas (contendo sulfitos e afins), enchidos (ai a minha rica farinheira e bacon) -  já sabíamos que era pouco saudável comer isto, mas agora serem considerados como cancerígenos equiparados ao tabaco... é forte muito forte... e agora as latas de salsicha vão ter um rótulo a dizer que o seu consumo pode aumentar o risco de cancro do cólon e recto?! 

Glúten -  faz mal também segundo muitos. 

 

Mas deixando o tom de brincadeira, agora foi a OMS a comunicar o dito dos enchidos e carnes processadas. E estes senhores não brincam em serviço... e sendo eu da área da oncologia, sei que este não é o único factor de risco. Mas também sei que quem tem familiares com cancros do recto e do cólon deveriam sim de levar este assunto muito a sério. Porque de uma coisa não se livram existe muita pré-disposição genética no cancro. Apesar de não estar totalmente descoberto, a verdade é que eu vejo cada vez mais pessoas nos processos clínicos que os avós e pais sofriam ou faleceram também de cancro. E infelizmente para estes casos os tumores parecem ser bem mais agressivos. 

 

Eu por exemplo sei que tenho pré-disposição para vir a ter diabetes, apesar de falhar imensas vezes porque sou doida por chocolates, tento me lembrar disso e tentar praticar mais desporto. Mas os hábitos são muito difíceis de retirar. 

Eu já só comprava enlatados de aves, e hambúrgueres de aves. Carne picada apenas a picada no talho. Eu até já tinha pensado em fazer na festa de anos da M (é já para a semana :S) os folhados de salsicha que os miúdos adoram e que a minha M adora.... mas agora olho para as latas e penso eu não daria um cigarro a ela. 

Vou ter de reeducar hábitos lá em casa, sendo que o marido é o mais difícil a convencer, mas eu própria me sinto a nora quando olho para receitas com quinoa e leguminosas e veganas... olho para maior parte dos ingredientes e sinto que não sei cozinhar. Espero que agora com este alerta surjam mais um workshops de comida vegana e eu me inscreva num. 

Posso não ir a tempo de mudar o meu palato e do meu marido, mas dos meus filhos vou a tempo de eles não consumirem carnes processadas e carne vermelha e de porco com tanta regularidade como nós. 

 

E agora em tom de brincadeira, e a feijoada tão típica de Portugal e o Cozido? Opá que será da nossa gastronomia?! 

Oliveirinha da Serra

Sou usuária do Youzznet e fiquei muito feliz por ter sido seleccionada para experimentar o novo azeite concebido a pensar nos bebés dos 6 meses aos 3 anos de idade.  Com apenas 0,3% de acidez, é um azeite virgem extra muito suave e delicado por ser produzido predominantemente a partir de azeitonas da variedade arbequina e que permite desde cedo a introdução desta gordura de forma saudável e equilibrada.

Também conseguimos ir pesquisar umas receitas do chef Vitor Sobral a pensar nos nossos meninos  que podem ser consultadas no site de Oliveira da Serra (oliveiradaserra.pt) ou na página de Facebook (ReceitasOliveiradaSerra).

 

Confesso que já tinha olhado para este produto no super e hipermercado e pensei que era mais uma mariquice inventada para as mães gastarem dinheiro, porque antigamente dava-se de tudo e ainda cá estamos. Mas de facto comparado este azeite em termos de sabor com o azeite que uso (que é de uma cooperativa) noto que o da Oliveirinha tem um sabor muito suave e agradável e que segundo eles temperar os legumes com este azeite permite dar um paladar mais agradável e também é uma gordura importante para que se consiga absorver todos os nutrientes presentes nos legumes. 

 

Portanto para mim recomendo e penso voltar a adquirir e ir usando na alimentação da baby M, até porque sempre me questionei se o azeite não seria muito agressivo aos intestinos ainda imaturos de um bebé. 

IMG_20150507_081851[1].GIF

 

 

Adeus ovo!!!

Ao fim de 1 mês e tal sobre o dilema se a M tem ou não alergias alimentares, chegamos finalmente a conclusão que sim é alérgica ao ovo. 

Resumindo:

Começou com Bronquiolites de repetição, mudamos de pediatra, e a excelente pediatra achou que podia ser uma alergia mas também poderia ser uma bronquiolite mal resolvida que estava sempre a recidivar. 

Fizemos análises ao sangue e detectou uma alergia baixa ao leite e ao ovo, pediatra manda pedir opinião a uma alergologista. 

Falo com uma que me diz que os valores são baixos que ela pode comer a mesma, pediatra pede nova opinião.

Fomos a outra que diz acho estranho mas vamos fazer um exame cutâneo, o pricktest, onde fazemos pequenos cortes na pele e colocamos extractos de alimentos e vemos se ela reage. 

Fizemos, era suposto dar negativo, alergologista confiante que ia dar negativo, mas a M reage ao ovo, não reage ao leite.

Alergologista manda repetir análises ao sangue não vá ter ocorrido erro no laboratório, porque a M parece ser alérgica ao ovo.

Análises de sangue dão classe zero, alergologista confusa, diz ok o leite pode comer, mas o ovo tenho de confirmar se isto no exame cutâneo não foi um falso positivo, vamos repetir com ovo verdadeiro. 

Pronto ontem repetimos o exame com ovo verdadeiro, a M não chorou, olhava para mim e eu dizia "já passa amor" e ela mordia o lábio e não chorou. Depois foi esperar, o controlo positivo reagiu mas a M começou a ficar muito agitada a querer coçar e eu a pensar ohoh será que é só do controlo positivo, não ao fim de 15 min a médica vai ver, limpa o braço e lá estavam babas enormes pelo braço da M. 

A alergologista diz que são casos raros em que a alergia não é detectada no sangue, mas se a M reage ao ovo no exame cutâneo está mais que provado que ingerir ovo não lhe fará muito bem. 

Portanto por aqui pode se beber leite vaca, mas não se pode comer ovo... ao contrário até poderia ser mais fácil em termos de fazer bolos e sobremesas... porque o ovo é muito tramado para substituir... mas pronto cá estou em para inventar e partilhar as aventuras culinárias sem ovo. 

 

Ah e se o dia tivesse terminado por ai tudo bem, não M em casa a brincar tropeça num brinquedo e cai em cima da tampa de um brinquedo de formas (o lado de dentro da tampa não tem extremidades redondas, reparei ontem) e faz um golpe entre o lábio e o nariz... e eu sozinha com ela a gritar e a gemer e eu a ver sangue por todo o lado e a respirar fundo para não panicar e ligar ao 112... lembrei-me do que a minha sogra me disse quando a M caiu no Natal (fazendo imenso sangue também) o gelo é ideal para estancar o sangue e tentar perceber se precisa de pontos... e lá fui embrulhar gelo num pano... e o sangue estancou e o golpe não era fundo... claro que liguei ao B a tremer e a M ainda a gemer e ele saiu do trabalho a correr, quando chegou a casa já a M estava a brincar como se nada fosse. 

Estou tão fartinha...

Estou tão fartinha da polémica dos leites, não dêem leite de vaca porque agora descobriu-se que faz mal ao organismo e pardais ao ninho. Dêem leite de soja, ah mas espera não dêem soja senão biológica porque pode conter transgénicos e não é saudável, dêem leite de amendoa ou coco ou arroz, mas não os de compra porque tem muitos açúcares, façam mas é em casa que é do melhor... e pronto o que se vê mais na moda é criancinhas a comer só do biológico (se soubessem da missa a metade, que muitas vezes de biológico só a etiqueta e o preço) e comida macrobiótica e biótica e xpto... e depois o outro extremo das mães sem paciência, que dão tudo o que é embalagens coloridas ao pequeno-almoço, que vão aos fast-food com bebés de um ano... 

Portanto o que mais vejo a minha volta neste momento são as mães do primeiro grupo, sim essas, porque essas mães fartam-se de pregar sermões em tudo o que é canto... onde saiem todas as semanas com mil estudos do que é bom e do que é mau, porque leram aqui e ali... 

 

Irra que antigamente era mais fácil ser mãe, hoje em dia olhamos para um pacote de bolachas e olhamos para o lado a pensar, ui será que esta aqui alguma mãe a olhar-me de lado, só porque de vez enquando dou bolachas pré-compradas do supermercado, o porque sim dou leite de soja porque é só comprar no supermercado em vez de estar a fazer em casa... Eu não sei em relação a elas mas eu não tenho tempo quase nenhum em casa, quanto mais para estar a fazer os leites e papas e mil coisas tudo do caseiro e biológico... 

 

Não me julguem sou toda a favor de reduzir o consumo de açúcares e bolachas da alimentação das crianças, tento sempre fazer muitos bolos e bolachas caseiros. A papa prefiro dar Nestelé sempre porque não tem açúcar adicionado, ao contrario da Bledina e Nutriben. Mas acho que tudo o que é extremos é de extremos a meu ver. Não é porque um produto não ter um rótulo de biológico que signifique que vá fazer mal e arruinar a vida dos nossos pequenos. 

 

E a guerra dos leites vai continuar a existir, e nunca vamos realmente saber se faz bem ou faz mal... Como a minha sogra uma vez me disse, antigamente só se bebia leite de vaca e era pouco, os adultos não bebiam leite... depois houve uma altura que só se falava em bebe leite e até havia programas de incentivo do estado português a dar leites as crianças do primeiro ciclo (quem não se lembra dos pacotes de leite dados pelas continuas). Agora anda ai uma vaga ou moda que todos os lacticínios e seus derivados deviam de ser banidos...Também sou da opinião que ainda não conseguem determinar quais os malefícios de um e de outro, porque a minha mãe e sogra pouco leite beberam em suas vidas e agora sofrem de problemas de falta de cálcio e dores nos ossos. Quando eu chegar a velha talvez saibam o que faz mal beber leite, sempre bebi, as vezes paro e vou para soja, mas depois sinto falta do copo de leite frio no verão e volto ao de vaca. A geração dos nosso filhos quando chegar a velhotes ai sim talvez vejam depois os malefícios da soja, e do leite de arroz e afins.

 

Irra qualquer dia não sei o que coma...