Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

O que realmente aconteceu

Depois de ver muitas imagens no Facebook, fui a procura de um que mostra-se o som e o vídeo sem cortes. 

E a minha opinião é que infelizmente o Gorila estava mesmo nervoso e mais nervoso ficou com os gritos das pessoas, que é fácil de dizer que não deviam de ter gritado, mas na hora quem se lembra disso. 

Infelizmente este Gorila não reagiu como no caso de 1998 em que um menino caiu para junto dos gorilas e ficou inanimado e o Gorila pegou nele e calmamente o levou até a porta dos tratadores. 

Esta reportagem mostra bem o que aconteceu, mostra a diferença entre comportamentos dos dois casos. 

Revela também que existe muitas falhas nos ZOOs e que as pessoas se esquecem que estão perante animais selvagens. 

Podem culpar o Zoo, alias por muito que goste de ver os animais, não me posso esquecer que eles deveriam de estar era no seu habitat natural. Se o homem não fosse o perigo que é, todos estes animais estariam em liberdade. 

Mas eu ao contrário de algumas pessoas não consigo tirar a culpa aos pais.... se o teu filho foge e larga a tua mão e vai a correr para o meio da estrada, e o carro não para a tempo de quem é a culpa?! Do condutor que até podia ir devagar mas com uma criança pequena a atirar-se ao meio da estrada pode não conseguir reagir.... Ou dos pais, ou é uma simples fatalidade. 

Como mãe sei que é difícil manter os nossos filhos longe do perigo e perto de nós, enfim até a minha mãe me perdeu na praia, ou melhor deixou-me ao cuidado de uma amiga dela e foi a casa de banho com a minha irmã... quando voltou eu já não estava lá. Não digo que acidentes não aconteçam, mas mesmo sendo um acidente tem de ser responsabilizado pelo facto de o filho de 4 anos ter conseguido passar uma barreira difícil sem que os pais dessem conta. 

Eu fui ao Zoo com a M e com os gémeos e olhem que 3 crianças de menos de 2 anos, são mesmo imprevisíveis mas nós sabemos isso, por isso mesmo éramos mais adultos que crianças. 

Ela e eles andavam sozinhos pela mão, e quando estavam ao pé dos animais ou estavam nas cavalitas para os ver bem, ou tinha sempre um dos pais perto atrás das costas dele. 

Por isso é que me custa muito pensar como, mas como é que isto aconteceu... ir a um zoo não é o mesmo que ir a um parque... num parque os pais podem ficar sentados calmamente a olhar pelos filhos e até os deixar explorar... um zoo não é um local de recreio. 

 

Notícias tristes

Só num espaço de dias 

 

  • Gorila é morto em zoo pela irresponsabilidade de uns pais de uma criança de 4 anos. Desculpem lá todos nós sabemos que os Zoos tem vedações e estão bem protegidos para os ditos animais não saírem de lá. Por isso foi preciso muita distracção destes pais para que o filho de 4 anos salta-se a vedação e cai-se depois para o foço dos Gorilas. Não é o primeiro caso, já aconteceu a diferença é que a Gorila protegeu a criança e colocou-a a porta dos tratadores (não foi abatida porque viu-se claramente a afastar os companheiros da criança). Aqui infelizmente quem apanhou a criança foi um Gorila macho e se bem que os bombeiros relatem que a criança estava a ser sacudida pelo dito, o Zoo apenas refere que a criança foi arrastada pelo Gorila e estava no meio das pernas do mesmo. Se o estava a proteger ou não nunca saberemos, porque a decisão difícil para o zoo foi abater o mesmo, visto que um dardo demoraria a fazer efeito e o Gorila podia entrar em pânico e magoar mesmo a criança. 

 

  • Noutro Zoo um maluco atira-se para o meio dos Leões nu, numa tentativa de suicídio, onde quem morreu foi o Leão e a Leoa. 

 

  • Em Matosinhos, uma jovem de 17 anos morre numa diversão de feira. Sempre tive medo e irei passar esse medo para a minha filha. Estas diversões em feiras ambulantes são tudo menos seguras. São colocadas e montadas n vezes. Em locais a pinha sem considerar o espaço envolvente. Neste caso aparente a cadeira não se soltou, apesar de em 2009  o mesmo carrossel e os mesmos donos estiveram envolvidos num acidente em que 8 cadeiras se soltaram. Desta vez foi o facto segundo testemunhas que um poste de iluminação estava próximo das cadeiras e um grupo iluminado de jovens divertia-se a tentar chegar ao mesmo. Quem manobra o carrossel deveria de ter parado logo o mesmo e chamado a polícia caso o grupo de jovens iluminados protesta-se. Já na minha cidade natal, um carrossel do "salta-montes" uma das cadeiras soltou-se com uma rapariga lá dentro, que felizmente só partiu ambas as pernas. Por isso não me venham com coisas, não é seguro. 

 

  • Um Homem mata a sua família, estava com uma depressão. E só isto nos assusta, porque apesar de estar medicado e com acompanhamento médico, este homem foi considerado apto a estar na sociedade. Muito provavelmente não estava. Mas em Portugal as doenças mentais não são levadas a sério e muitas pessoas que deviam de estar institucionalizadas ou com apoio diário de psicólogos não estão. E vão para casa medicados, e quem conhece pessoas com esquizofrenia, ou depressão paranóica ou doença bipolar, sabe que muitas vezes o doente não toma a medicação.  

Sobre os contractos de associações do privado

Pelo que tenho percebido e atenção posso ter interpretado mal... o financiamento não é para os ricos, mas sim para crianças que não podem pagar o mesmo que os filhos dos ricos... ou seja mais ou menos como funcionam as IPSS, é por rendimentos. 

E pelo que percebi estes contractos foram feitos porque o ensino público não chega para todas as crianças existentes no país. 

Não defendo nunca terem feito este tipo de contractos, sou sempre a favor de terem feito mais escolas e terem melhorado ensino. Mas não foi isso que aconteceu, agora cortam assim a parva o financiamento. 36 colégios que tem turmas de crianças financiadas pelo estado (mais uma vez como as IPSS) vão ter de retirar esses alunos do colégio caso os pais não consigam pagar a mensalidade.

E olhem que devem de ser de facto muitas crianças que serão forçadas a mudar de escola a parva e iram ocupar salas de aula que já estavam sobrelotadas e que vão ficar ainda mais lotadas. Ou isso ou vão ter aulas em contentores até se decidir expandir as escolas ou fazer novas escolas. 

Depois eu sou contra mega escolas, para mim devia de existir mais escolas e mais pequenas... senão existem sempre crianças que tem de fazer 30 minutos ou mais de deslocação e isto estou a falar de uma cidade grande. Quanto mais se for para o interior do país. 

Portanto sim reduzir custos é necessário mas sempre com pés e cabeça, não façam as cegas... tanta crítica porque cancelaram a contratação na função pública, mesmo em caso de substituição. O que fez por exemplo um caos na saúde, médicos saíam e não havia substituição, enfermeiros de baixa e não havia substituição e por aí fora. E já aqui dei o meu exemplo de estar fora do trabalho 9 meses e não foi autorizada a minha substituição por isso o trabalho ficou super atrasado. Enfim tanto criticaram que agora vão e fazem um corte cego na Educação. 

E chega de piadinhas de ai vais ver que os Paizinhos não tem dinheiro para pagar o colégio... e eu respondo e digo não muito provavelmente não tem.... eu para ter a M num colégio só podia ter um filho certo, ora imaginem que eu tinha conseguido uma vaga nestas turmas... e tinha um segundo filho e fazia a minha vida conforme os rendimentos e despesas que tinha, ou seja, o que todo o mundo faz e de um dia para o outro me dizem agora tem de pagar 500€ pela escola da sua filha M e pelo seu filho que esta na creche que são outros 400€.... estão a ver ali quase dois ordenados mínimos. 

Resposta de vocês então vai para a pública e eu recordo vós que estes contractos foram feitos porque não existe vagas para todas as crianças em Portugal. E recordo que o ensino é gratuito desde os 4 anos de idade até ao secundário, portanto é obrigação do Estado Português arranjar condições e vagas para todas as crianças em Portugal. 

 

Não digo que os pais devam escolher a escola dos filhos, do tipo eu escolhi um colégio porque o ensino é melhor. Defendo que a escola deva ser de qualidade mesmo a pública e segura acima de tudo, e depois que deva de ser a escola mais próxima da casa ou do trabalho dos pais. 

Sendo assim...

Conheço imensa gente no Facebook que iria ser obrigado a retirar e a não colocar mais imagens dos filhos, podem achar exagerado, ok uma foto ou outra ainda vá que não vá. Mas a mães (aqui pecam sempre elas) que os seus perfis de Facebook são um autêntico diário fotográfico dos filhos, podem em risco os filhos. Em risco como perguntam vocês, ora bem se eu tiro fotos ao meu filho de cuecas ou nu na praia, essa foto pode ser facilmente "tirada" basta um download que o facebook permite e se não permite qualquer expert consegue retirar a foto e usar para fins mais nojentos como sites de ponográfia infântil. 

Depois se tiram fotos dos filhos a entrada do colégio, ou com a roupa que levam para o infantário rapidamente conseguem identificar onde o seu filho tem aulas. Assustador certo?! 

Eu não mostro fotos da minha filha, nem publico as fotos no meu perfil do Facebook, sim tenho um grupo fechado onde tenho algumas fotos de rosto dela para amigos verem. Amigos escolhidos por mim. Eu e o pai recusamos a pouco tempo uma sessão fotográfica porque sabíamos que as fotos iam ficar disponíveis online no blog da pessoa em questão. E apesar de eu ter achado exagerado o meu marido tem razão, se decidimos não expor a nossa filha, não a vamos expor até ela ter idade de decidir. E claro sempre fotografias de bom senso quando o decidirmos fazer. 

Outra questão que os pais deviam de monitorizar é sim o perfil de facebook de filhos menores, apesar de ser ilegal um menor ter conta no facebook todos sabemos que eles tem. Mas os pais devem se manter atentos a algumas fotos que principalmente as adolescentes tiram, imitando muitas revistas da moda e fazendo poses pouco recomendadas. 

Por isso mães de Portugal e pelo mundo fora, um pouco mais de controlo na hora de colocar as fotos online dos filhos, se quiserem façam como eu criem um grupo de amigos no viber, whatsapp e partilhem algumas fotos deles ai, assim familiares e amigos podem ver e comentar os pequenos petizes e as suas peripécias. 

Quanto aqui ao mostrar a conhecidos os nossos filhos olha temos pena não podemos chegar ao cúmulo de impedir como já li uma notícia nos EUA que uma mãe foi obrigada a dar todos os álbuns de fotos do filho porque em algumas ele estava nu e a mãe mostrava a familiares e amigos e namoradas então vai de um processo contra a mãe. Quem ganhou o filho porque a lei é clara, os pais tem o dever de proteger a integridade e privacidade dos filhos. 

Realidade das urgências

Trabalho num hospital portanto sei que o que o Governo diz sobre 40% das urgências serem falsas urgências é bem verdade.

Quando vou a urgência ouço de tudo, pessoas que vão lá por uma simples dor de garganta que nem é persistente, mas que começou a dois ou três dias. Pessoas que vão lá para saber o estado da cirurgia que tem a espera, como se ao ir a urgência o médico conseguisse ver alguma coisa, ou até operar naquele dia, se está em lista de espera é porque o assunto não é de todo urgente. 

Mas que soluções este e os outros governos nos dão, nenhuma a bem dizer, e não é pela falta de médico de família porque quando não tinha médico de família via que era atendida mais rapidamente do que agora que tenho um.

Mas tendo ou não um médico de família, imaginamos que estamos com gripe não nos conseguimos levantar para ir trabalhar, mas aquela falta tem de ficar justificada certo?! Muitos vão a urgência pensando que os médicos lá passam declarações falso e errado, só perdem tempo a ir lá... então vai no dia seguinte ou no mesmo dia de manhã ao centro de saúde, chega e fica na fila e reza para que consiga ficar com as consultas de recurso do seu médico de família que são menores do que para quem não tem médico de família.

Passo a explicar o meu médico de família atende de manhã as consultas programadas e de tarde atende as consultas urgentes de quem está doente. Sem médico de família é atendido ou de manhã ou de tarde por um médico, caso contrário é reencaminhado para um SAP da área de residência que funciona até a meia noite (coisa que muitas pessoas não sabem e o centro de saúde não diz). 

Sempre que a M fica doente até tremo de pensar que a minha mãe não pode vir ficar com ela, passo a explicar, vou a pediatra, pediatra diz que esta doente e passa atestado indicando os dias que devo ficar em casa com a M, se não for ao médico de família as faltas ficam justificadas mas não recebo um cêntimo... então no dia seguinte eu tenho de ir lá com uma miúda doente tirar senha e tentar marcação para tarde. Tenho de ir duas vezes ao centro de saúde com uma criança doente (e na maioria das vezes com doenças contagiosas). 

Lembro-me de uma vez e da primeira vez que conheci o médico de família e atenção que até gosto do senhor, nem sabia que tinha médico de família. Na altura em Novembro a pediatra que tinha era uma nódoa e assim que me ligam as 9 da manhã dizendo que a M estava com 39º de febre, fui logo ao centro de saúde porque sabia que a pediatra não me iria atender sem consulta marcada. Chego e pergunto a secretária qual a senha que tenho de tirar para conseguir uma consulta de urgência para hoje.

A resposta foi aí não sei se consegue, e eu digo a menina está cheia de febre eu não posso ir trabalhar e preciso de baixa e que ela seja vista, não me faça ir a urgência do Hospital para amanhã cá voltar porque preciso da baixa mesmo. Ela lá me pede o cartão de cidadão da menina e diz que vai ver que médico me aceita ver visto a menina ter 1 ano e ser muito pequenina para aguardar até amanhã. Lá está as senhas tinham se acabado as 8 da manhã e eu cheguei era 11...

Volta e diz-me sabia que tem médico de família e eu não, pois ele diz que não a conhece mas como a menina é pequena que a aceita ver em horário extra, venha cá as 5... Pois vou eu as 5 novamente para lá e as 6 nada de ser atendida, a M a berrar com febre, reclamo, vão ver do médico diz que me chamou as 2 da tarde... e eu entrei no gabinete e ele diz eu chamei as 2 já estava a ir embora, a resposta que dei foi que a secretária me disse as 5 para não trazer a menina tão cedo que eu era a última a ser vista.

Ele responde eu atendo sempre as crianças em primeiro lugar, já sabe venha sempre as duas (oh sorte a minha)... pronto muito simpático pediu que no futuro fizéssemos uma consulta de família (ainda tenho de a marcar) e viu que a menina tinha bronquiolite e deu-me baixa.... Depois disto foi descoberta a doença da M na sequência daquela bronquiolite que nunca mais passava... fomos lá mais uma vez pedir a prescrição de um exame que era para fazer no instituto Ricardo Jorge, o médico já não estava lá só tinha vindo de manhã, e se não tivéssemos médico de família tínhamos logo a prescrição.

Teríamos de voltar segunda feira, eu disse ao marido vamos ver quanto custa no privado, vimos e custava 40 euros máximo, ora o meu marido perder mais um dia iria custar mais de 40 euros ao final do mês, contado que os dois já tínhamos perdido o dia de Sexta-feira em médicos e exames e a ir ao centro de saúde para nada, lá tudo se faz de manhã bem cedo, nunca vão a tarde. 

Por isso não censuro quem vai a urgência em busca de uma solução, que nem é solução porque nem um atestado de 3 dias lhe passam.... 

A meu ver devia de haver mais urgências básicas a funcionar até a meia noite, porque existir uma por concelho não chega, não é suficiente e a maioria das pessoas não sabem que ela existe, no meu conselho aquilo fica tão longe de nós que é natural nem saber que ele exista e como tal não recorremos a ele. E a meu ver essas urgências básicas deviam sim de passar as baixas e atestados necessários... claro que isto era naqueles casos de urgência do tipo filhos doentes, nós com uma grande gripe e afins... tudo o resto ficariam reencaminhados com consulta marcada para o centro de saúde. Com tanta tecnologia e ainda não arranjaram um sistema que liga-se o centro de saúde ao SAP e a Urgência Hospitalar, íamos ao SAP e eles marcavam consulta de follow-up para o centro de saúde. Íamos ao centro de saúde, não havia vagas e éramos reencaminhados ao SAP mas já com a consulta lá efectivada para não ficar eternidades a espera do outro lado. 

Mas lá está seja este ou outro governo a prioridade não é aumentar os SAP nem melhor o atendimento nos centros de saúde.