Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Sem tirar nem por

Eu não sou de clubes, nem de partidos, eu voto pelas pessoas e pelas propostas e por aquilo que eu acho que o país precisa. 

Nestas eleições pensei o país precisa de estabilidade, precisamos de mais 4 anos sem desfazer o que tanto nos custou, para que o futuro possa ser um pouco melhor.

Então comecei a analisar o carácter dos cabeças de cada partido.... todo aquele discurso de ESQUERDA de sair do Euro, de renegociar a dívida e afins soava muito ao que aconteceu a Grécia e disso sim eu tinha medo, tão perto da meta, já depois de nos livrarmos da Troika a impor medidas absurdas íamos picar o ninho de vespas... não isso eu não quero. 

Ok sobravam os dois do costume PS e a coligação.... e o que eu ouvi do António Costa desde que roubou o cargo ao Seguro, foi uma sede de poder e uma ambição desmedida, o homem prometia fazer melhor, sem definir nada em concreto, as respostas sobre onde iria buscar o dinheiro para dar tudo o que nos foi retirado, ele não sabia responder ou era muito confuso. Passou toda a campanha a dizer mal do anterior governo que se esqueceu de dizer onde iria mudar o que iria fazer para levar Portugal a um bom porto. 

Para mim o ideal era ganhar a coligação e o PS juntar-se a eles e fazerem boas propostas para o Orçamento de Estado, colocar o bem do país em prol da ambição. Nas campanhas eleitorais o PS dizia a pés juntos que nunca se iria coligar ou apoiar a coligação, que não precisava do PSD para nada. Já Passos disse que perdesse ou ganhasse estava disposto a sentar-se e juntar ideias e reformar por exemplo a SS. Mostrou-se humilde em altura de eleições, eu sei que isso é dizer o mesmo que nada. 

Ganhou-se as eleições, o Presidente da Republica pede a quem as ganhou para formar um governo maioritário com os outros partidos... ou outros partidos bateram o pé, mas o PS fez pior começou quase a fazer um Golpe de Estado, reunindo-se com o Bloco e PSP e dizendo que tinha acordo com eles, mas nada em papel, não havia nada definido a não ser boa vontade.

Boa vontade essa que era só para 2016, sim se o Costa fosse indigitado Primeiro-ministro, Bloco e PSP deram a sua palavra que iriam aprovar o Orçamento de Estado para 2016, mas que para os anos seguintes estes teriam de mudar vários pontos em que o PS diverge com a restante Esquerda. 

Se isto é estabilidade vou ali e já venho.... todos nos sabíamos que assim que o PS fosse obrigado a manter ou modificar algo do acordado num possível Orçamento de Estado, que o o Bloco de Esquerda e PSP iam saltar fora porque é contra a ideologia política deles...  

Se é viável o que temos, NÃO mas respeita o que a maioria do povo quis... Quem não votou coligação, também não estava a pensar que o PS se ia juntar ao Bloco de Esquerda ou ao PSP...Sim porque a maioria que votou no PS nunca iria aceitar isso, e quem votou nos restantes partidos da ESQUERDA também não iria querer que eles de repente passem a fazer parte de um governo que se diz de ESQUERDA mas que atira muito a DIREITA. 

 

O Cavaco Silva perde em muito e sim também o considero o pior Presidente da Republica que já tivemos, mas ele não disse que nunca aprovaria um Governo de esquerda, o que eu entendi da mensagem foi :  Que nunca iria aprovar um Governo de Esquerda, que o povo não elegeu, e que esse Governo de Esquerda divergia e muito com os ideais do PS, sendo um deles, sair da Zona Euro, renegociar a dívida, saída da Nato e por aí fora. E que esses mesmo ideais iam muito contra os restantes estados membros da Europa. Ou seja seria um Governo liderado por António Costa, pressionado a sair do Euro, a renegociar a dívida e a sair da Nato, quando a restante bancada parlamentar do PS não quer nada disso.... 

 

E ainda bem que alguém pensa igual a mim, podem ler aqui.