Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

O que eu queria mesmo...

Na sequência deste meu post. O que eu gostava mesmo de ser na vida era isto, 

 Uma família que mostra o seu dia-a-dia tipo reality show, mas com a diferença de que são eles que escolhem o que passa ou não para fora. Não mostram birras, castigos, brigas e problemas familiares. Mas claro que ainda se expõem imenso e ao seus filhos também. Eu adoro ver, contudo não seria capaz de expor a minha filha a isto, até porque a mentalidade em Portugal é diferente de lá fora... e não me parece que a minha família acha-se muita graça. Se bem que devido ao sucesso deles, ambos os pais estão em casa, tem carros topos de gama, casa topo de gama e vivem uma vida sem preocupações. 

E no fundo eles conseguem viver o dia-a-dia dos filhos sem o stress que as pessoas que trabalham tem, para eles tantos se lhes faz se é quinta ou domingo, os planos são feitos ao sabor do vento e das agendas sociais deles. 

Mas não é preciso ter muito dinheiro para se poder fazer o mesmo, é preciso muitos tomates e abdicar de muita coisa, de uma casa toda xpto, de roupas da moda e novas, de idas ao cabeleireiro, de médicos privados, de ter dois carros, de fazer férias a sítios muito fashion... mas o que se ganha é isto: 

 

às vezes vejo fotografias de outras famílias e penso: quem me dera também levá-los à eurodisney. eles iam adorar. aposto que eles iam adorar. e penso na nossa escolha, nas coisas que nos privamos de fazer. se eu trabalhasse talvez conseguisse levá-los à eurodisney e eles podiam ver os castelos e as princesas. penso nisso e depois esqueço. ontem quando acordámos a maria perguntou se podíamos ir ver patos. disse que sim. não pensei muito: disse só que sim. ainda era muito cedo e nós íamos apertados no metro, no meio de todas as pessoas que iam trabalhar e não podiam chegar atrasadas. nós não tínhamos pressa. brincámos no parque, fizemos um piquenique, demos pão aos patos, jogámos à bola e pintámos árvores e passarinhos. eu não quero a eurodisney: quero isto. tempo com eles. acordar sem saber se é domingo, segunda ou sexta-feira. dizer que sim muitas vezes. valorizo isto mais do que qualquer coisa que já tive na vida, este tempo com eles. esta oportunidade de ficar em casa, de viver sem pressa. mesmo que alguns dias sejam difíceis. às vezes sinto-me criança como eles: eu, descalça, a comer gelados no parque a meio da tarde enquanto invento histórias com dinossauros. é como andar de carrossel todos os dias.

daqui

 

E no fundo é isto que eu queria mesmo, viver sem pressas, ao sabor do vento, viver como a minha mãe viveu mas com a liberdade de se quiser assumir algum papel profissional o poder fazer, o que queria mesmo era poder viver mais e com mais qualidade de vida. Mas as responsabilidades financeiras ainda não me permitem, mas naquela casa eu e o B já falamos imensas vezes nisso. É um sonho dos dois, e podem me chamar maluca e do século passado, mas para mim foi muito importante crescer com uma mãe que estava lá... em que eu ia almoçar a casa porque ela estava lá... sim era chato, as minhas amigas tinham mais liberdades porque quando a escola terminava ficavam em casa sem ninguém a dizer e já fizeste os trabalhos, e vai arrumar o teu carro... Mas era tão bom quando eu ia passear com a minha mãe, as melhores memórias que tenho dela são ir todos os dias a praia no Verão com ela e a amiga... ir ao cabeleireiro ver-la a arranjar o cabelo, ir ao café com ela e as suas amigas. Ir as compras com a minha mãe. E os fins de semana eram sempre ao sabor do vento... nunca havia aquela rotina das outras casas, em que o sábado de manhã acordavam todos cedo e todos iam limpar a casa e passavam o dia assim entre tarefas domésticas e listas de supermercado... e os domingos eram corridos a tentar ver tudo e todos. Os meus eram ao sabor do vento e da preguiça, porque as tarefas domesticas eram feitas durante a semana. 

Sim a minha mãe queixava-se muito que gostava de trabalhar em part-time ou ter algo ou algum projecto. Mas no fundo é isso que aqueles dois exemplos acima tem... vivem a vida e no final tem um blog ou um vlog para alimentar. E existe tanto em Lisboa para fazer mesmo em regime de voluntariado... existe tanto para fotografar e tanto para aprender. 

O meu sonho sim era ter possibilidade de ficar em casa, ser fotografa e maquilhadora e agendar apenas o que queria, porque lá está o dinheiro não seria o objectivo  objetivo.