Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

A ida a Coimbra...

Lá ontem rumamos a Coimbra, sem saber ao certo para que íamos. Chegamos e fomos muito bem recebidos, incrível a diferença que notei entre um hospital que recebe adultos e crianças, para um que só recebe crianças. Nota-se nos funcionários uma empatia enorme pelos pais e uma atenção extra pelas crianças. 

Ficamos imenso tempo a espera da médica, tinha havido um transplante na noite anterior e a reunião de serviço devido a esse transplante foi demorada. 

A M ia fazer uma eco, mas indicamos que tínhamos feito em Lx então como não havia vagas não repetiu a eco. 

A consulta em si, foi para levantar o histórico familiar, responder a mil perguntas, inclusive o que come o que não come, quantas vezes teve doente ou com febre, diarreias, que doenças os familiares tem e com detalhe que muitas vezes não sabemos, porque os familiares dizem que tem x ou y mas não sabem detalhes eles próprios. Falou-se muito no transplante do meu pai, que nos não sabíamos as causas da sua falha hepática, falei de eu ser portadora de um gene mutado para a Hemocromotose.

Mas de qualquer das formas eu já sabia que a Hemocromotose não era a culpada, pois para se ter geralmente a doença temos de ter dois genes mutados e eu só tenho um e o pai da M não tem. E de qualquer das formas na infância a Hemocromotose não se manifesta. 

Portanto as hipóteses levantadas assim na mesa são:

- Ser algo transitório, o sistema imunitário da M é imaturo (normal num bebé) e pode com algumas infecções ter ficado um pouco baralhado e ter "atacado" o fígado, esta situação prevê que o valores normalizem daqui a 3 meses.

- Ter sido um vírus, também prevê a normalização dos valores em 3 meses.

- Ser alguma doença crónica ou genética que a família do lado do meu pai tenha para além da Hemocromotose. 

 

Portanto o plano é daqui a 3 meses voltarmos a fazer a eco em Coimbra (eco que detalha o tamanho e espessamento do fígado e do baço) e fazer novas análises com outros marcadores de doenças e também novas transaminases. Entretanto a médica vai consultar o processo do meu pai a ver se consegue encontrar o elo de ligação. 

 

Se os valores baixarem fica em vigilância só porque o histórico da família não deixa de ser preocupante. Se não baixarem teremos de possivelmente fazer biopsia ao fígado para conseguir perceber o que esta a afectar as células dele (senão fizer será como procurar uma agulha no palheiro).

 

Eu também tenho de marcar uma consulta de gastro para vigiar o meu fígado, já o fazia por iniciativa mas não com médico especialista. Até porque a médica suspeita que eu ter sido operada de urgência devido a cálculos na vesícula depois da gravidez está relacionado com os problemas familiares. Porque eu tinha feito eco antes da gravidez e estava tudo normal e após 9 meses tive uma litiase tão grave que não puder ser operada logo até me baixarem os valores da amilase (tinha o pâncreas inflamado), basicamente corri perigo de vida mas felizmente conseguiram operar e estou aqui...

 

E pronto não estávamos a espera de sair de Coimbra com mais dúvidas do que respostas, mas deram a tranquilidade suficiente de sabermos que ainda não é uma situação grave e que ainda pode ser tudo um grande susto, claro que mais uma vez a espera vai custar....