Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Ai que precisava do euromilhões

A falar aqui com esta babe e a fazer uma lista mental de coisas básicas de vestuário que preciso para mim, lembrar-me do que preciso para a M (pós-anos tenho de fazer a lista de roupa a comprar dela) e coisas que o homem também precisa. Chego a conclusão que um prémiozinho no euromilhões ou numa raspadinha vinha mesmo a calhar. 

No fundo aqui a je precisava de um novo guarda-roupa mesmo, isto é o que dá quando não se gosta de comprar roupa (atenção eu adoro olhar as montras, ver em mim é que não) e depois chegamos a conclusão que tudo o que temos está a ficar muito mas muito gasto....

 

Para dizer que a babe está numa maré de muito azar, por isso um dinheiro extra também lhe vinha a calhar. 

 

Ah que o dinheiro não traz felicidade, pois eu já sou feliz mas o dinheiro iria me fazer a mulher mais feliz do mundo.... oh se ia. 

O que sente uma mãe

O que sente uma mãe quando lhe é diagnosticada uma alergia alimentar.... é sempre na exclusão que os nossos filhos vão passar quando ainda não tem idade para compreender o que podem ou não comer e o porquê. 

Uma batalha que eu luto a um ano praticamente é com a escolinha me indicar quando existe aniversários para poder levar um miminho para ela nessa semana, mas elas recusam a dizer porque imaginem que um pai não leva nada de bolo nem miminhos para os amigos, eu vou ficar a saber... já disse para me dizer só que a um aniversário, não quero saber quem é o menino ou menina. 

Quero é saber da M a ver todos comerem uma fatia de bolo e ela não comer, dizem que não chora que lhe dão um bolacha das dela.... e eu acredito?! Claro que não.... porque sei que na festa de anos dos gémeos a M pediu para comer uma tarte de maçã que viu colocar na mesa... e como não sabia o que levava disse que não podia, mas podia comer o que a mamã fez para ela... chorou baba e ranho, já estávamos eu e a minha irmã de volta dela, desanimadas e até que a dona da tarte de maçã chegou e eu perguntei o que levava a tarte, se tinha usado ovos... ela disse que não e finalmente podemos dar a tarte a M, mas claro que já não a quis... estava a chorar porque não lhe demos logo quando pediu. 

Por isso imagino como será na escola.... já tentei de tudo excepto fazer mesmo queixa directora... mas não queria...

Hoje ver se encontro a educadora e pergunto quando é que é o próximo aniversário da M para enviar uma guloseima que ela possa comer, se não me disserem ai digo então desculpe quero falar com a directora, porque a M na última festa de anos já ficou muito sentida porque não podia comer algo que queria e eu tinha lá algo para ela, imagino ali onde não tem nada a não ser bolachas Maria. 

O desfralde e a creche

Posso vós dizer que a M estava muito motivada e segundo tudo o que li estava preparada para o fazer... mas encontramos um grande impedimento no desfralde da M. A creche.... falei diversas vezes com a educadora no sentido que a M já ia e era ela que demonstrava o interesse, expliquei que gesto ela fazia... tudo e mais alguma coisa... a resposta era sempre a mesma ela não pede a elas. 

O tempo foi passando e quando finalmente tivemos férias notei que a M perdeu o interesse, não a recrimino, de facto em casa ela pedia e depois na escola não havia o trabalho nesse sentido. 

Mas o meu pior receio aconteceu, notei que havia meninos da idade da M que já iam a casa de banho e faziam o desfralde. Por isso não podia ser o factor idade que ela deu-me uma das vezes como justificação, que o regulamento da creche apenas permitia o desfralde activo após os 2 anos e em período de verão... o que significa que a M como nasceu em Novembro só seria feito com quase dois anos e meio e não pela iniciativa da criança (algo que eu não sou a favor). Então fiquei ainda mais baralhada... pior ainda quando regressei de férias e por duas vezes seguidas a M viu-me chegar e pediu coco... a resposta das auxiliares presentes foi "não tens nada cocó que ainda agora mudei te a fralda" ou irem ver e dizer que ela não tinha cocó. Eu educadamente relembrava que era a forma como ela pedia para ir a sanita... e elas nada e acaba por ser eu a leva-la ao bacio da escola. 

A reunião da escola foi ontem e eu pensei vou falar sobre isto, mas quero provas, então fui falar com a mãe de um menino mais velho dois meses e perguntei como estava o desfralde, ela disse que mal, que ele não pedia, mas elas insistiam que tinha de ser porque a sala estava TODA a fazer o desfralde, eu disse que não e disse até que a M pedia mas a educadora me disse que a M não participava e não falava com elas. Alias ela insiste sempre em dizer que a M não fala e não participa. O que me dá uma vontade enorme de lhe gritar e dizer que ela tem de adequar as brincadeiras a todos os membros da sala, se tem uma criança com menos vocabulário não pode ter o mesmo tipo de comportamento que tem para uma mais velha e que fala. 

Eles seguem o método High Scope, que eu tive a pesquisar e todos agora seguem esse método... mas não sei até que ponto é um método bom para a M. Gosto que eles ensinem pelo optimismo, do tipo a criança diz miau e a educadora responde: "boa é um gato", ou seja corrige de forma positiva e não do tipo "não é um miau é um gato"... mas não gostei da parte que agora na sala dos 2 anos eles passem o dia a fazer o Planear-fazer-rever, ou seja a criança escolhe o que quer fazer, faz e depois senta-se a rever com a educadora o que fez, é ai que ela lhe vai tentar ensinar algo pela reflexão e dialogo. Ora se a M não fala para elas, para mim ela fala. Como é que esperam que ela aprenda?! Ou ganhe vocabulário?! Para mim isso vai a fazer ficar no seu mundo a brincar. 

Depois estão sempre a dizer que aceitam sugestões, eu sugeri que no final da semana, numa folha entregue aos pais dissessem que actividades preferidas os meninos tiveram, ou que conceito aprenderam naquela semana... isto para que os pais em casa fizessem o reforço positivo das mesmas regras ou aprendizagens.... resposta da educadora, não gostamos de enviar trabalhos para casa (eu não falei em trabalhos para casa), que aprendizagem é livre e não estruturada.... e que qualquer coisa é só perguntarem que eles respondem.... 

Morderam a própria língua porque agora vou ser chata, ai querem que pergunte e marque reuniões com a educadora, está bem vou o fazer... porque quero mesmo perceber se existe alguma evolução na M na creche.... esta naquela escola desde os 6 meses, e desde que foi para a sala de 1 ano com a educadora X, que as diferenças que vejo na M são só a nível de independência, que nisso eles são excelentes a ensinar os meninos a serem independentes, mas ouço sempre que a M não participa nas actividades que envolvem perguntas ou dizer o nome ou sequer levantar o dedo e em sinal de presente.

A educadora é a mesma portanto já estou a dar um ano de evolução e vou me manter muito atenta porque estou descontente... atenção eu não quero que a minha filha seja uma máquina, mas o que eu noto é que eles dão mais atenção e elaboram actividades de acordo com as capacidades dos mais velhos... olha que bonito, a criança tem pouco vocabulário (são 3 a contar com a M) e vê os outros a responder tou aqui, ou até a ter grandes diálogos, como se sentem os que não conseguem se exprimir da mesma forma?! 

Depois nas férias com os pais a M evoluiu imenso na fala, porque eu e o pai seguimos o método antigo, que é olha M o céu é azul, olha e ela olhava e ao fim de um ou dois dias a fazer esta expressão de vez em quando a M aprendeu o azul e o verde... e atenção ela geralmente tem vergonha do meu pai, mas eu disse para ele fazer as perguntas certas e ela respondeu-lhe... e o meu pai até a viu a imitar contar, do tipo 1,3, 7, 10. 

Contei a educadora e a resposta é sempre mas ela aqui não diz, juro que qualquer dia grito com ela e digo mas você tirou o curso onde, senão diz assim cabe a si criar estratégias para ela o fazer... e eu não vejo evolução e eu pago para ela ser bem cuidada e para brincar mas também para ela aprender e não para ouvir o mesmo. 

Em relação ao desfralde, confrontamos a educadora que ainda na apresentação da reunião disse que o desfralde estava quase todo feito nos meninos de dois anos, faltando os que iam fazer dois no inverno ou que fizeram agora... meteu os pés pelas mãos e a parte confrontamos com isto... começou por dizer que aquele menino antes pedia que ela jura que ele pedia mas que agora bloqueou e foi isso que a mãe queria me dizer... mencionamos que a vimos pedir e que a ignoraram, deu a desculpa que as 17h é altura de confusão e já tem menos auxiliares, o meu marido aqui não respondeu, eu estava a conversa com o professor de música. Porque o que eu teria dito era problema o seu contratem mais auxiliares, e agora garanto que quando ela disser de novo eu vou exigir que uma delas vá a casa de banho, vou mesmo dizer, não ouviu a M a pedir... ou se disserem ah mas n é bem pedir, eu atiro e digo então e quando ela começou a comer com o garfo teve de pedir que queria comer com o garfo ou vocês puseram lá o garfo e tentaram ver se ela imitava os meninos mais velhos....  

A Reunião terminou com um eu referir "ok mas se a M pedir vão com ela mesmo que seja inverno, a roupa é da minha responsabilidade e não vossa". A educadora diz que é contra o regulamento porque é incomodo para a criança ficar molhado no inverno...dá uma vontade de esfregar o livro dos especialistas que dizem que o desfralde faz-se o ano inteiro e não só quando é Verão... terminou com ela a dizer que ia estar mais atenta as necessidades da M. 

O meu marido acredita que eles vão mudar, eu duvido muito, mas meteram-se com a pessoa errada porque pelo bem estar da M vou ao fim do mundo... e sim eu sei que a M é igual a mim, eu sei que ela é tímida e tem tendência a não falar, sei que é preciso trabalhar muito individualmente com ela... e é isso que eu acho que esta escola não tem capacidade para o fazer.... depois em relação ao desfralde eu tenho a minha teoria bem assente... que foi eles começaram com grupos de 2 e de 3 alunos, a turma é pequena e quando já tinham todos os meninos com mais de 2 anos sem fralda e ainda estava calor decidiram pegar em dois da idade da M, uma menina e um menino... a menina correu super bem, o menino correu mal e a mãe ficou furiosa. E pronto ficaram com medo e não avançaram mais. 

 

Para verem bem, gostei mais do método de ensino do professor de música que deu exemplos reais de brincadeiras que fazem, desde jogos didácticos no pc onde tem de adivinhar o animal, mesmo que a M não diga ouve o nome dele. E depois ensinar lengas-lengas e cantigas sobre lavar dentes, comer sozinho, ir a casa de banho. Ensinar a expressarem-se pela música... A M só teve duas aulas e eu assim que ouvi uma música trabalhada por eles (na reunião) reconheci logo o que a M em casa me vez com as maracas, ela imitou o ritmo na perfeição... antes abanava uma e outra descoordenadamente e agora abana as duas ao mesmo ritmo. E hoje disse a "M tem música hoje" e o sorriso dela abriu-se logo. 

Não admira, parece que o método como o professor lhes ensina o mundo pela música se adequa mais a M que se sente incluída. 

 

Desculpem o desabafo enorme, mas é algo que iria fazer comichão a qualquer mãe se o mesmo se passe-se com os seus filhos. 

E claro o dilema põem-se sempre, se trocar de escola vai ser melhor ou pior para a M... mas felizmente conto em pedir a opinião e a ajuda de um familiar que é psicólogo educacional.

Aquele sentimento

Toda a mãe que trabalha sabe do que eu vou falar a seguir e é um dos motivos pelos quais se tivesse mais dinheiro não hesitava em ter uma profissão liberal. 

A M desde Domingo que tem acordado sempre durante a noite e a tosse tem dado sinal. Está noite foi das piores, acordar a 1:30 da manhã com ela a chorar e a gritar, nem sei o que foi se era pesadelo, doer o dente (ela anda a roer a chucha de forma incansável, quando é que acabam de nascer dos ditos), se era por ter tosse e doer a garganta como me acontece a mim.... Sei que consegui acalmar e adormecer e não tinha febre... vamos dormir... ouço novamente ela a chamar às 4 da manhã.... fiquei acordada a ouvir aquilo que eu achava que era ela a dormir e de vez em quando lá choramingava e dizia mamã e depois calava-se. 

Daí que a teoria do meu marido seja pesadelos, mas sabem o coração de mãe não se engana, e hoje assim que o B lhe dá o biberão e ela acaba-o desata aos prantos e quando fui ter com eles ao quarto a pergunta foi logo está com febre. 

O B diz acho que sim, mas não sei se foi por estar virada para o cobertor (o termómetro é daqueles novos de encostar a testa). 

Lá fui medir no rabinho, nova choradeira, mas não tinha febre, mas a cara e os olhos dela... fiquei ali num limbo vou ou não trabalhar... tenho uma reunião hoje por isso vim trabalhar, mas não deixo de ter o coração apertado e de me sentir a pior mãe do mundo... porque hoje a M precisava de mimos da mãe e colo da mãe e não o vai ter até as 17h.

Claro que se o telefone tocar da creche saio a correr e a marimbar para reunião e estudos e o raios que partam... ela está em primeiro. 

O fim da TV NACIONAL?

Quando era criança e até ser adolescente, nunca senti falta de ter tv por cabo, e já havia mas era considerado um bem desnecessário, atenção que tive net desde os meus 14 anos, para quem nasceu em 85 até nem está mal. 

Mas lembro-me de ser bem crescida e de ver o New Wave que era 20 x melhor que os morangos com Açúcar e de ver a RTP2 que dava séries juvenis e infantis e depois um programas de comédia bem giros até as 22 horas que era a hora em que começava o belo do telejornal. Lembro me das sessões de cinema de Domingo e Sábado a noite e de Segunda de manhã falarmos dos filmes que vimos na TV pública da SIC ou TVI. 

 

Foi preciso chegar as férias e passado uns bons anos de não ter de ver SIC e afins a não ser para ver o telejornal, que dei por mim a pensar mas que m*** é esta que passam na TV.

Ora a M tem 22 meses, e adora ver bonecos enquanto não chega a hora do jantar, claro que vai brincando pelo meio mas adora apontar e dizer o cão, ou outra coisa qualquer e chamar para nós vermos também. Então a primeira coisa que constato de manhã enquanto a M bebe o leite vê geralmente o disney ou baby tv... no Algarve não havia tv por cabo por isso vou a procura de bonecada de manhã e qual o meu espanto quando só a RTP2 tinha, epa eu quando era jovem adorava ver os desenhos antes de ir para a escola.

Ok menos mal vamos lá ver o que é isto, bem que bonecada mais parva, desde arrotos, maus modos, nada de lógica ou moral, basicamente bonecada estúpida a fazer coisas estúpidas e parvas e a falar de um modo completamente desadequado, para que idade é que eles estão a mostrar aquilo... alguns bonecos pensamos ok para malta com 8 a 12 anos... mas logo a seguir acaba esse e vem bonecada demasiado infantil para o anterior grupo mas os bonecos continuam a ser completamente parvos e sem lição nenhuma, nada como estamos habituados... dou vários exemplos o panda tem o Bing, um boneco que vai descobrindo e fazendo asneiras e uma imagem de um pai que o vai ensinado várias coisas, desde ir a casa de banho a tempo, descuidos acontecem, a partilhar, que todos temos algo em que somos bons a fazer... enfim ensina n coisas, tal como o RUCA, tal como a Dra. Brinquedos eu sei lá, de todos os que eu mencionei ensinam sempre algo aos miúdos subtilmente... na televisão nacional nada zero... e depois ao final do dia a RTP2 volta a repetir a bonecada de manhã... os outros canais é Julias Pinheiro e afins com vozes esganiçadas a falar de coisas muito úteis ou talvez não... eu entendo a grande maioria das pessoas é idosa e precisa de companhia, mas bolas 3 televisões a darem basicamente o mesmo. 

Depois o pior chegamos ao fim do dia pomos a M a dormir e queremos relaxar a ver TV... ora novelas nos 3 canais, e na RTP2 documentários, alguns bons outros muito fracos. Ao fim de semana boa vamos ver um filme finalmente, mas qual filme qual carapuça 3 canais a darem música pimba e festas em Portugal (mas há assim tanta festa em Portugal, que dê para 3 televisões nacionais transmitirem diferentes festas, e durante dois dias) e a chularem os velhos com o ligue e ganhe um carro e dinheiro. 

Nada, mas mesmo nada para ver e eu ainda me lembro quando a TVI abriu tinha como alvo os jovens e transmitir filmes e séries que era uma lacuna que havia no mercado. A TVI surgiu para ser uma alternativa, mas agora passado uns bons 15 anos noto que a TV nacional está toda igual, desinteressante de uma ponta a outra, sem trazer nada de útil a sociedade. 

Depois admiram-se que todas as casas tenham televisão privada, que todos os jovens saquem filmes e séries ilegais... porque se vamos para a casa dos nossos avós só podemos é definhar a olhar para uma televisão que de entretenimento não traz nada. 

Ok, já sei o que vão dizer ah e tal juntem se todos e façam actividades fora do ecrã, e eu respondo não denoto que a televisão seja um perigo para as famílias, se apenas tiverem 1 tv em casa como eu, são obrigados a ver televisão em família e a conversar sobre o que viram... se sentarem-se ao pé dos miúdos a ver um episódio da série televisiva deles e lhes perguntarem coisas vão ver que eles param de ver tv e conseguem vós explicar tudo o que aconteceu... e até podem tirar uma lição dali e dizer que é igual a um teste de português quando pedem para interpretar uma história ou um texto.. .podem fazer o mesmo tipo de perguntas e depois também vão ver que tem tempo em família e algo em comum com os filhos para conversar. 

 

Por isso pergunto, será isto o fim da TV Nacional ou existe assim tantas pessoas a gostar de novelas e de música pimba?

É tão isto

 

Certo mamãs, ainda hoje as 4.30h da manhã pensei em várias vezes por a M na nossa cama, adormecer ao colo (ainda tentei mas está muito pesada), e em último pensei em lhe dar o tablet e dizer diverte-te lol... vá não se preocupem as 5:20 eu chamei o pai e barafustei contra tudo e todos e ele foi acalmar a M.

Desfralde parte 2

Não está a ser tão cor de rosa como se pinta nos livros... os livros não nos preparam para a reacção dos nossos pequenos. 

Eu comprei cuecas com um tecido grosso que mandei vir da Amazon, onde o xixi não escorre directamente para o chão mas molha a roupa ou o local onde a M está. Com estas cuecas ela vai a casa de banho porque se sente molhada mas não fica humilhada.... Mas também fez o pai pensar que ela não se importava de fazer na cueca. 

Então ontem ela estava com fralda, porque eu ainda não fiz desfralde activo, e sinto cheiro a cocó e digo vamos trocar a fralda, ela vai e corre para o w.c... eu tiro a fralda lá para fazer o que o manual ensina, a por o cocó da fralda no bacio para eles entenderem, eu tiro a fralda e a M só tinha um risco de cocó o que significa que ia a tempo de o fazer... ela senta-se no bacio mas fica muito perturbada com a fralda ligeiramente suja, sempre a dizer olha suja... e eu não faz mal a M agora faz no bacio... ela levanta-se com medo e diz cocó.... e aponta para a sanita, no tempo de por o redutor, sai cocó ao chão e o resto fica meio que esborrachado no redutor... ela termina e eu tiro e ela ficou em pânico porque o redutor estava sujo, o chão sujo e o rabo sujo... só dizia sujo, sujo muito aflita... ela odeia sentir-se suja...o ver coisas sujas... e não, não fui eu que ensinei... limpei com mil toalhitas que podem ir a sanita, que limpam mal e é um desperdício mas não são tão rijas como o papel higiénico e não magoa o rabito dela. 

Depois de tudo limpo pergunto fralda, responde logo que não... e eu puxo para cima o tapa fraldas que tinha que parecem umas cuecas, sabendo que não eram absorventes... mas era o que estava a mão... 

O B chega a casa e a M pede água, não a pus primeiro no bacio porque ela na fralda tinha xixi... ela bebe água a frente da Tv e sai dilúvio pela cueca, bem foi aí que vi que o dinheirão que dei pelas cuecas xpto não foi um desperdício, foi sapatos e tudo cheios de xixi, para não falar do vestido que tinha coco do incidente de a pouco que ainda esperava por mim para ser lavado... eu vou e pego num pano e faço o que o manual diz não ralhar e dar o pano para a criança limpar o que fez... sem ralhar, só dizer vamos limpar com um tom a incentivar... ela limpou... mas depois de limpar e a caminho do quarto desatou num pranto e só dizia ao pai sujo... ficou muito ressentida por ter feito xixi no chão... perguntamos o mesmo fralda ou cueca, deixando ser ela a comandar e nós a dar tempo ao desfralde.. pediu cueca mas so podia ser a mãe a por... lá a pus.... foi jantar... a meio do jantar diz já está... nós pais totós não a deixamos sair... e ela acaba por se descuidar na cadeira, mas como tinha as cuecas especiais, não se sentiu tão humilhada... foi a correr ao w.c... e eu disse não querida já está molhada (nunca digo suja porque isso a faz entrar em stress) ela vira-se e dá um pontapé no beiral da porta... pego ela ao colo e sujo-me toda de xixi... a M quando esta no muda fraldas e vê fica em pânico porque me sujou... 

 

E eu e o pai olhamos um para o outro no final do dia e combinamos que damos 2 dias de cuecas, senão der e virmos que ela se sente muito humilhada, vamos cagar para os livros e fazer como os SacconeJoly fizeram a filha usaram as fraldas cuecas até a filha ter algum controlo sobre os acidentes... e fazer mais x no bacio do que fora dele e só depois da fralda cueca estar muitas vezes seca é que passaram para as cuecas normais, tudo porque não queriam que a filha se senti-se humilhada. 

 

E eu pela primeira vez achei que os psicólogos e pseudo psiquiatras não são pais... porque se fossem escreviam uma parte sobre como as crianças se sentem humilhadas e como resolver o assunto.. eles terem tem, mas dizem lá que só se sentem assim porque os pais as humilham dizendo olha que feia, sujas-te toda ou xixi no chão é feio e tal... mas nós não fizemos nada disso e por ela própria que detesta falhar se sentiu humilhada... 

Depois do acidente do xixi no chão ficou agarrada a mim durante 5 min... a soluçar e eu a dizer que todas as pessoas tinham acidentes e faziam xixi no chão... que os pais também fizeram quando eram pequenos como ela.... e depois distraí com um boneco... e ela lá parou de soluçar... 

 

Não há nenhum botão para carregar e passar esta fase do desfralde?! É que ela própria pede o bacio e sanita e depois recusa a fralda... 

 

P.s - quanto ao limpar a M se derruba água ou leite ou qualquer coisa para o chão também tem de limpar e não fica pertubada... alias tudo começou quando um dia ela subiu a um banco pegou no pacote de leite e despejou todo e eu que estava a fazer qualquer coisa na cozinha disse olha agora tudo sujo, quem limpa? E agora?... e ela pega num pano e começa a limpar e diz já está... (acho que escrevi aqui em tempos esta situação)

Vê-se com cada pergunta...

No facebook aderi a um grupo chamado bebés e alimentação algo do género na esperança de ter lá receitas boas e diferentes para os pequenos, que nada... ou existe debates sobre qual o iogurte com mais açúcar ou como fazer papas caseiras para não andar a dar papa de pacote que é veneno para bebés disfarçado... ou então tem lá uma série de perguntas (que fazem pensar que estas pessoas não sabem sequer cozinhar) que aqui replico de memória....

 

 - Deram me espinafres, o que faço com eles, sopa? Mas sopa de quê? Que ingredientes leva?!

Hello em que planeta vives, nunca comeste uma sopa de espinafres com grão ou creme de espinafres, e sabes existe uma coisa chamada GOOGLE é excelente para pesquisar coisas e aprender em vez de vir aqui para o Facebook fazer figura de Trool

 

- O meu filho tem 18 meses, só tenho carne de vaca cozinha será que lhe posso dar?

Hello com essa idade a carne de vaca já devia de ter sido mais que introduzida, perto dos 6 meses de vida junto com a sopa, ou na consulta de enfermagem do centro de saúde não leu o papel que a enfermeira entrega... ah espera isso da muito trabalho.

 

- Posso dar atum a um bebé de 18 meses enlatado?

Está foi linda de ver o debate, eu disse que sim escorria muito bem o azeite e fazia normalmente sem adicionar mais sal ao acompanhamento porque o atum enlatado tem muito sal... 

Resposta das mães Trolls aka viciadas em modas saudáveis... credo nem num adulto quanto mais a um bebé... tipo sério adorava ver estas mães a comer, ah espera elas comem de tudo mas a criança come tudo insípido e sem sabor... mesmo já tendo 5 anos ok...

 

- Posso dar fiambre de peru a um bebé de 12 meses?

Qual é a parte do já pode comer de tudo mas ter cuidado com o sal que estas alminhas não entendem?! Já deu peru de certo a criança o fiambre de peru é apenas por ser mais salgado, mas lá está em exagero não fará mal certo... ou nunca comeu uma sandes com fiambre em toda a sua infância?! 

Respostas das mães trolls saudáveis - fiambre não é saudável é uma alimento processado!!! Eu a pensar para os meus botões, mas vocês tem um peru em casa e uma galinha e alimentam-os e matam-nos com as suas mãos e dão aos filhos, é que só assim é possível dar um alimento 100% seguro e orgânico ao filho. 

 

- Vou fazer a primeira sopa do meu bebé, mas a pediatra não disse quantidades, ou melhor disse uma concha de sopa e mesmo que não coma tudo sem problemas, mas a minha dúvida é quanta cenoura e quanta batata faço... 

LOLOL olhe é 40 gramas de batata e 20 de cenoura ao resto manda ao lixo boa.... digo isto porque as respostas de faça uma batata e uma cenoura, junte água a cobrir e triture, dê uma concha ao bebé e o restante guarde para o outro dia não agradou a senhora, porque a batatas são de tamanho diferentes tal como as cenouras, ah essas malucas.... fabricantes de batatas vejam lá se as começam a fazer todas do mesmo tamanho para facilitar esta gentinha que nunca viu as suas mães a cozinhar na vida... Que que se alimentavam sabe se lá do que... hmm take away talvez... 

 

Post escrito com muita ironia, calma que não respondi assim a ninguém lol... 

 

Agora para ser boazinha aqui vai uma dica para quando a sopa do bebé fica muito aguada e precisam de uma solução rápida e fácil... coscus, juntem esperem 5 min e depois se for preciso triturem de novo... :D