Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Taxa de luxo

Adoro esta polémica que o Bloco de Esquerda levantou, com o taxar o património imobiliário acima dos 500 mil euros. Primeiro porque as ditas senhoras adoram usar frases polêmicas como tirar aos acumuladores de fortunas para dar a quem mais precisa, ou património imobiliário não é investimento. Claro quem tem essas casas nem contracta ninguém para as limpar e cuidar, é a mulher dos ditos acumuladores de fortuna e os ditos que ao fim-de-semana entre jantares e jogos de polo e de golfe que as limpam. Depois é o viverem no mundo do Robin dos Bosques, com a diferença que elas não os assaltam, que provavelmente seria uma maneira mais eficaz do que esta. Vejamos o porque, só quem vive no mundo encantado é que acha que os grandes acumuladores de fortuna tem património em seu nome?! Não sabiam que existe uma coisa chamada arrendamento de luxo, sim eles arrendam casas de maneira que se algum dia acontecer como a Ricardo Salgada, o estado e respectivos credores nada podem ir buscar. O carro pertence a empresa ou a alguma empresa, a casa é de um amigo e pagam renda a ele (vejam o exemplo do Amigo do Sócrates que lhe emprestava quantias avultadas de dinheiro, o dinheiro não era dele, ele era um coitadinho que precisava desse dinheiro emprestado para viver). Não se iludam meus queridos, os ditos 20% de gente a quem consideramos mesmo ricos a valer não tem património no seu nome e o dinheiro não está em Portugal. Contudo eles fazem o país mexer, com o dinheiro que directamente ou indirectamente gastam em Portugal. Depois as críticas começaram e elas começam logo a dar desculpas, sim mas nós não estamos a falar da casa principal para habitação própria permanente, essa não vai contar (claro imagino quantos amigos políticos e quiçá familiares delas ou elas próprias não se iam queimar), nem a casa de férias irá contar, nem as casas que estejam arrendadas ou que sejam comércio. Claro que tinham de contar com estas duas ressalvas da casa própria e das férias, senão estavam a ir ao próprio bolso delas e dos amigos… imaginemos que tem um apartamento ali no centro de lisboa a custar 300 mil euros, mais uma casa para o Algarve a custar outros 250 mil ou 300 mil euros, já estavam a taxar-se a si próprias. Sim porque é um imposto acumulativo. Agora eu pergunto a medida é para taxar quem? Uns 10 gatos pingados que estejam distraídos e não tenham amigos no poder. Só assim de caras se eu tivesse esse dinheiro, agarrava no meu património todo, doava a algum amigo, e fazia um contracto de renda para mim… nem o amigo pagava nada porque era uma casa para arrendamento e eu era um pobre desgraçado que estava a pagar renda numa casa de luxo. Claro que isto tudo são suposições, mas é o que dá os políticos falarem antes de pensarem com pés e cabeças. Depois claro que eu quero que me deixem de taxar a mim e passem a taxar quem tem mais do que eu. Mas eu sei que é mais fácil taxarem a mim que não tenho amigos e conhecimentos na esfera política e de poder do que alguém nessa posição. E não também não acredito em subsídios de mão beijada a quem não tem, porque muitos e não digo a maioria não tem porque não quer trabalhar ou até trabalha com fuga de impostos total, mas depois vai pedir rendimentos a SS. Como digo mais fiscalização honesta é do que o país precisa e não de mais taxas e taxinhas.