Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

A "segunda"

A “segunda” gravidez é mais difícil do que a primeira, uma colega de trabalho já me tinha dito isso, mas uma pessoa ignora sempre né. Pois eu explico porque, na primeira não existe um ser vivo a depender de nós, só somos nós e o nosso futuro filho… por isso a prioridade somos “nós”, chegamos do trabalho descansamos, fazemos um jantar ligeiro se for preciso… as limpezas são feitas nas calmas, o parceiro tem tempo para nos paparicar. Planear o futuro quarto da criança e organizar a casa é fácil e vai se fazendo aos poucos no tempo livre que temos. Pois na segunda é para esquecer, eu chego a casa, e penso tenho tanto para fazer, mas bolas nem aguento as costas e precisava de descansar 5 min antes de ir buscar a M…. o primeiro trimestre foi lixado, sentada no sofá a ver a M brincar quase que adormecia, e ouvi uma vez ela dizer-me mamã acorda…. Aos fins de semana pensamos ok, vamos lá limpar e organizar isto tudo, pois claro temos uma criança de quase 3 anos, filha única, brincar sozinho é chato… e ficar fechados em casa com ela é pior ainda. Depois o dilema ok sai com um dos progenitores, com a grávida que não pode pegar nela ao colo quando precisa, que segundo palavras da OB convém descansar… então vai com o pai e a mãe fica em casa… pois mãe essa que limpa a casa mas passado uma hora parece uma velha a queixar-se das costas…. sim raios sofro das costas nas gravidezes, ou melhor nem é das costas é no fundo das costas mais para o lado da anca...na gravidez da M isto só aconteceu para aí perto dos 6 meses e fui para casa… agora tenho dias que pareço uma entravadinha que não consegue sair do sofá ou da cama sem ter dores tipo choques eléctricos ou chegar ao cúmulo de ter de pedir ajuda para me levantar porque dói muito… Este fim de semana foi chato para a M, não tanto o sábado saiu de manhã com os papás para ir supostamente tomar uma vacina, mas não a tomou…(enfim não adianta ligar a perguntar se tem disponível porque quem atende não serve de nada)... foi às compras. Chegamos a casa ela foi brincar com a tia de longe, e eu fui fazer o almoço… chegaram os primos e foi brincadeira e birras de partilhar até se fartar e serem horas de levar a tia ao aeroporto. Depois fomos ver os aviões. Mas como o sábado foi passado no não fazer nada em casa, no Domingo não havia volta a dar, e a M ficou fechada em casa, ao fim do dia já só choramingava…. passou o dia a não querer brincar com nada e só a querer TV… e os pais no final do dia com um mau humor danado… entre roupas por passar, lavar, secar, casa por limpar só se conseguiu fazer metade… porque um de nós mesmo que não queira tem de dar mais atenção a M porque ela passado pouco tempo sente-se sozinha e se nos vê a sair de novo da sala pede a chorar para ficarmos com ela. Chegou ao ponto de ela dizer a mamã vai limpar a cozinha e ela dizer vai o papa, papa limpa casa. Enfim não está fácil e quando o baby nascer vai piorar tudo…. mas até lá só peço para ter tempo para conseguir organizar o quarto da criança, que claro é o quarto das arrumações, é aquele quarto livre que até dizemos que é escritório e quarto de visitas, mas no fundo é para lá que pomos tudo, roupa que já não serve a M para organizar - neste momento estou a espera do sexo para saber se posso dar a outra pessoa, só vou separar mesmo umas roupinhas mais especiais para mim. Roupa que deram para a M vestir mas é enorme e tenho de organizar por idades no roupeiro.. limpar roupeiro daquelas tralhas que todos temos mas nunca usamos… enfim… só espero vir a ter tempo de conseguir fazer tudo antes de ele nascer… E se com o primeiro temos tempo para tudo, num segundo segundo já me disseram quando dermos conta já falta um ou dois meses para nascer e ainda não temos nada pronto.