Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Escandalizada com isto

A Professora Pinki Sahota, uma das responsáveis pelo estudo, disse ao jornal Mirror que uma das mães questionadas sobre se cozinhava muito em casa, respondeu que não, que era mais fácil ir ao fundo da rua comprar um hamburguer, batatas fritas e uma bebida por apenas 1,50 euros.

Os primeiros dentes de um dos bebés analisados nasceram ja pretos, devido à quantidade de coca-cola que bebia no biberão.

Outra mãe, com um filho ainda sem dentes e já obeso, confessou que esmagava as pontas das batatas fritas e metia na boca do filho.

"O facto das crianças estarem a ser alimentadas com este tipo de comida é já uma preocupação grande, Mas os pais esão a incutir maus hábitos para a vida toda", revela Pinki Sahota. E acrescenta: "As mães com níveis de educação mais baixos tendem a ser as piores. Mutas delas não sabem cozinhar".

O estudo também revelou que mães adolescentes estão a dar sete vezes por semana, ou mais, batatas fritas e fritos aos seus bebés de 18 meses.

 

Podem ler aqui.... bolas por amor da Santa já começavam a por a Disciplina de Economia Doméstica nas escolas onde os meninos e meninas aprendiam sobre economia e gestão da casa e também apreendiam a cozinhar.

Gatos e os pepinos

Já viram nas redes sociais de certo a brincadeira dos gatos e dos pepinos. Basicamente o gato estar descontraído a fazer qualquer coisa, muitas vezes a comer, e o dono aproxima um pepino e põem atrás deste. Resultando num tremendo salto de medo do gato quando vê o pepino. 

A explicação para o fenómeno surge no site da Royal Canin. O gato não tem medo do pepino como objecto em si, até poderiam por outro objecto que o susto seria igual. Uma vez que o animal está a relaxar a fazer uma actividade como dormitar ou comer.... e quando se vira vê algo que antes não estava.  A nós isso também acontece e não é nada agradável termos essa sensação de pânico e medo. 

O especialista em comportamento animal avisa inclusive o porque de não ser recomendado fazer isto ao animal.

 

Além disso, existe uma grande probabilidade de, numa única exposição ao objeto, provocar nele uma fobia perante outros objetos, pessoas ou animais que o gato relacione com a situação. Assim, o gato pode, por exemplo, adquirir uma fobia ao comedouro, ou à cozinha (se lá estava a comer), ou a comer na presença de outro companheiro que estava nas proximidades, quando ele se assustou. Pode inclusive ganhar medo ao dono, caso o gato se aperceba que foi ele quem colocou ou removeu o pepino, podendo evitar a aproximação ou não permitir que o acaricie. 

 

Como podem ver, acho que a gracinha não compensa em nada o risco do animal ficar com fobia, ou até ficar agressivo com o dono por ter medo. 

É sempre assim

Por todo o lado é gente grávida ou a pensar em engravidar. Da primeira vez era a minha irmã...desta vez é a filha de uma colega e a médica do serviço (uma de seis semanas e a outra de 4 meses) e outra colega a pensar em engravidar. Eu neste momento estaria de 13 semanas quase 14.

E eu olha acho que o Universo tem um sentido de humor muito perverso. 

 

Enfim, mas as pessoas em questão estão mais preocupadas comigo do que eu própria. A vida continua e não vivo em função dos outros. 

A M inspectora de beijinhos

Hoje de manhã ao sair para o trabalho, dou beijo a cria que estava na sala a espera do pequeno-almoço e vou me despedir do pai que estava na cozinha, a saída lanço um beijo no ar e a M diz:

-"Mãe, beijinho o pai".

 

Como não me viu a dar beijinho ao pai, lembrou-me logo. E faz isto sempre que não nos vê a despedir :D

Fui anti-social

Estou fartinha.... Primeiro começou-se com o dar prendas surpresas a algumas pessoas do serviço que faziam anos, mas depois outras nunca recebiam. Quando finalmente uma colega move as pessoas para me darem a mim e eu faço o mesmo por ela... Vem um motim lançado por algumas pessoas que aquilo das prendinhas era uma tremenda injustiça. E a directora de Serviço proibiu para deixar de haver "problemas" no serviço. Porque ninguém queria fazer uma lista oficial e sempre que alguém fazia anos dar x... porque assim deixava de ser surpresa. É tão mais giro dar sempre prendas aos mesmos e os outros só pagam. 

Concordei com a chefe e ficou dito que quem quer dar que dê na rua, fora do serviço... excepções feitas claro a situações de doença (um postal) ou motivos de grande celebração (anos de carreira ou serviço). 

A chefe foi se embora e começou logo a rebaldaria, entro e pedem-me logo dinheiro para uma colega do serviço que eu até nem desgosto... que ela fazia anos e a nível pessoal estava em baixo... e acedi e dei dinheiro e nem assinei o postal, porque a m*** da pressa era tanta que nem esperaram por mim um dia. 

Quando uma auxiliar ficou doente, pedi ao pessoal para participar num postal... ui que difícil foi por estas alminhas a assinar, quanto é?! E eu então é um postal cêntimos de certo... mas todos muito hesitantes em assinar, lá assinaram. 

A mesma rapariga fez anos, certo a dois anos seguidos que não lhe damos nada, mas tb não me lembro de terem pedido novamente para ninguém.

A diferença porque disse que não... é que suspeito assim mesmo a grande que a rapariga fez um jantar no fim de semana que passou e convidou algumas pessoas do Serviço... até porque na foto do restaurante consigo ver algumas caras.... caras essas que agora querem dar uma prendinha a rapariga. 

Disse que não... pois claro que disse, quer dizer não tem a decência de convidar para o jantar, mas depois dou prenda... ora fdx senão sou colega para ir ao jantar de anos dela também não o sou para dar prenda... ok a rapariga até pode nem saber de nada... Mas as alminhas que foram ao jantar que se juntassem e dessem no jantar boa... 

 

Maquilhagem sim please

Ok... eu já me maquilhei todos os dias, excepto fins de semana em casa. Desde que fui mãe já não há tempo de manhã para isso, haver até havia se eu não tivesse tanto sono. 

Ora hoje foi um dos dias que a madame decidiu que era a mamã que dava o pequeno-almoço e a sua mãe estava com o tempo contado, parou de secar o cabelo a meio, porque o pai pediu SOS.... e pronto saio de casa como cabelo semi molhado e nada de make up, nem o BB cream que o valha....

Liga-me o meu parceiro nos estudos (vou sair daqui cheia de artigos científicos) e pede-me para ir ter com ele ao serviço dele à sala de reuniões, lá lhe ligo porque não a encontrava. E entro onde, numa sala cheia de médicos que tinham estado numa reunião de serviço. 

Se pudesse me encolher e desaparecer teria o feito.... pedem-me para sentar e depois o companheiro de crime apresenta-me ao pessoal, e graças aos santinhos alguns senhores Dr. saem, os outros ficam a fazer brainstorming para ideias para apresentar num congresso. E eu lá a dar o sim ou o não, acho que não se pode fazer... eu sem make-up e com o cabelo num desalinho. 

 

Quero lá saber da música "ela é bonita sem make-up" mas o dito ajuda e muito na minha auto-confiança. 

 

E sim a minha vontade de matar o dito que me chamou a uma reunião, nem eu sabia que ia para uma reunião.... é gigante.

Campanhas que valem a pena

A Persil lançou uma campanha #dirtisgood e #Freethekids. Já o Skip também lançou a campanha o ano passado é Bom Sujar-se. Podíamos pensar ok, isto nada tem haver com as nossas crianças, pensamos logo em crianças fechadas e presas em instituições. Errado tem haver com todas as crianças do mundo. Ou se calhar as do mundo desenvolvido. 

Quando fui a Cabo Verde, notamos que sim as crianças estão sujas, nunca ou raramente viram um doce, passam fome e não tem grande educação escolar. Mas vemos um brilho e alegria nos olhos deles, porque estão a brincar. De uma garrafa de água fazem um carrinho, de trapos uma bola. 

E os nossos filhos, se tirarmos todos os brinquedos deles, o que sabem eles fazer?! Se os pusermos na rua e dissermos, explorem divirtam-se, provavelmente ficam a olhar para nós. 

A culpa é de quem?! De todos nós, pais, escolas e governo. 

Culpa de nos pais que estamos tão ocupados com o limpar a casa e manter a vida organizada, que nos esquecemos que quando tínhamos a idade dos nossos filhos estávamos na rua a brincar. Pois agora dizemos que as ruas não são seguras. Mas eu digo que infelizmente nunca foram.... só que a diferença é que agora nos incutem um medo enorme, do rapto, da morte e nem vemos o mal que estamos a fazer aos nossos filhos. Prendemos-os em casa, porque agora a mãe esta a tratar da roupa, ou da limpeza e não podes ir a rua. Agora não porque o pai esta a ver o futebol ou a trabalhar?!

A culpa é de todos nós se pensarmos que o fim de semana tem 48 horas e nem 1hora é passada na rua a brincar... Sim choveu imenso este fim de semana, mas houve períodos de tempo em que não choveu.... se a deixei ir a rua, não.... porque, porque esta a limpar a casa porque ia ter amigos em casa. E porque geralmente está muito frio. Mas e nos países Nórdicos como fazem, pois as crianças saem a Rua e brincam também e lá está mais frio do que cá. Só desculpas....

Da minha parte quando vi o vídeo pensei, uffa a M passa todos os dias 1 hora na rua comigo durante a semana a brincar, mas depois penso bolas os reclusos tem direito a 2 horas por dia. 

E ai entra a escola, os educadores, e o Governo. Exige-se mais das nossas crianças do que de nós próprios. Como simples, todos os nossos filhos passam mais horas numa escola / creche / ATL do que nós no trabalho. E depois pensamos, ah mas estão a brincar. Quem nós diz que o tempo que tem para brincar é suficiente?! 

Eu recordo-me de até ao 4 ano ter apenas aulas de manhã ou de tarde e ia para casa brincar. Hoje olho para a minha sobrinha e tem tantas aulas como eu no 5º ano, não a nível de disciplinas mas tempo em sala. 

Como podem exigir a mesma concentração de uma criança de 6/ 7anos de uma criança de 10 anos? 

A minha sobrinha chega a ter duas horas de matemática e de português. E tem 8 anos. E depois quantas crianças para além da escola, ATL ou actividades ainda chegam a casa com mais TPC?! Nós chegamos a casa e relaxamos ou não do trabalho, mas geralmente o trabalho fica no trabalho. Nas crianças ele volta com ela... a escola está sempre presente. 

Nós como pais temos de tentar libertar os nossos filhos, nem que seja apenas duas horas no sábado e duas horas num Domingo para ir passear. Eles merecem e nós também.... e não é por 2 horas que a casa vai ficar um caos, ou o trabalho vai ficar por fazer. 

 

 

Gaffe ou não

Sabem aquela sensação depois de cumprimentar uma pessoa +/- importante, quase teu chefe, mas sem ser chefe.... com dois beijinhos depois de estares ausente 1 mês e ficares a pensar.... Oh bolas fui eu a primeira a quebrar o protocolo ou o Dr. já o tinha quebrado?! 

No que troca a mails e a SMS tenho a certeza que foi ele porque no final das mensagens as vezes vinha o bjs. 

Mas hoje depois do ar surpreso dele acho que fui eu que quebrei o protocolo, acho que foi da falta de sono mesmo....

 

By the way este protocolo existe por existir não esta definido, do mesmo modo que tratamos os médicos por Dr... mesmo quando trabalhamos com eles à imenso tempo e mesmo quando os ditos Drs. só são internos e são mais novos do que nós. 

Com os mais novos as vezes escapa-se me um tu e tratar pelo próprio nome.... mas logo volto ao Dr....

E bolas de pensar que a Sr. Dr. mais novos do que eu começo a ter a confirmação que estou muito velha...

Coisas que mudam com a maternidade

Antes de ser mãe se alguém vomita-se ao meu lado depressa vinha o meu instinto de vomitar também. Vi em qualquer programa de curiosidades que é um instinto de sobrevivência, se o outro vomita é porque provavelmente comeu algo estragado, logo se vivemos em comunidade eu também posso ter comido e é assim que o corpo reage, expulsa logo o que tem mesmo que não tenhamos comido o mesmo. 

Com 6 meses, já eu a caminho com a M para o hospital onde trabalho, porque andava desconfiada que a otite não teria passado e queria ir a otorrino que sabia que o meu hospital tinha. Mas assim que chego e a tiro do carro, ela desata a vomitar leite... e eu ali sozinha carregada com ela a tentar virar a menina para não sufocar tive de ser socorrida por uma enfermeira que ia entrar a serviço. Na altura fiquei encharcada em vómitos dela, e ela ficou internada... não vomitei.... mas pensei ok pode ter sido porque era só leite. 

A M já teve inúmeras gastrites mas nunca vomitou, era sempre muita diarreia. Desde Terça que ela andava a demonstrar "olha que eu estou a ficar doente", primeiro deixar de comer, depois mesmo na creche na Quarta dizerem-me que tiveram para chamar porque lhes pareceu que a M ia vomitar a carne do almoço e recusou-se a comer, mas como pediu sopa e fruta e ficou bem não ligaram muito. Nesse dia comeu o jantar de peixe cozido e no final começa com cara de enjoo e a dizer mamã e eu queres vomitar... lá fomos e nada saiu... o pai chega a casa e ela diz papá "dói dói barriga". E eu a pensar bolas entrei hoje de novo no serviço.

Quinta damos leite de soja, o pai diz que ela tolerou bem e levou a escola com o aviso que se tenta-se vomitar nos chamar... não ligaram, e até comeu bem na escola... a noite não queria comer nada, nem sopa, nem bolachas, nem chocolate (que usamos para ver se era fita, se disse sim ao chocolate sabíamos que era manhã)... recusou tudo até ir brincar com a filha da vizinha porque tinha de comer primeiro.... bebeu um chá da nutribem e sempre com asco de vómito... foi dormir, chorou as 1:30 fui lá e aconcheguei-a, adormeceu... as duas chora e digo ao B vai lá tu que isto vai ser uma noite, ele chega lá e passado pouco tempo grita por mim...

Percebi logo tinha vomitado, cheguei ao quarto aquele cheiro, montes de vomitado, ela ainda agoniada, e vomitou tudo o que tinha comido naquele dia....vómitos meus zero... sono meu zero... a M foi para nossa cama, pois a dela ficou linda not.... e eu despertei de tal forma que não conseguia dormir, quando adormeci deve de ter tocado o despertador. 

Já tínhamos decidido que era a vez do pai ficar com ela, e quanto muito o pai ia buscar a Sogra que felizmente esta por cá. 

Hoje de manhã assim foi, ele foi buscar a mãe e quando eles chegaram a M tinha acordado aos pulos como se nada se passa-se e quando cheguei ao trabalho já tava a comer torrada. 

E agora ah, precisa de ir ao pediatra?! (Estamos a fazer 6 meses sem ursofalk, medicamento do fígado, e avisaram que aos 6 meses poderia subir novamente os valores ou não)... ela quando acordou e eu perguntei se queria água disse que tinha dói dói na barriga e na boca.... mas depois come ali toda alegre?! Ontem também comeu bem de manhã e depois a noite veio tudo fora?! 

Ai os dramas de ser-se "mãe e pai".

Pág. 5/5