Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Fui anti-social

Estou fartinha.... Primeiro começou-se com o dar prendas surpresas a algumas pessoas do serviço que faziam anos, mas depois outras nunca recebiam. Quando finalmente uma colega move as pessoas para me darem a mim e eu faço o mesmo por ela... Vem um motim lançado por algumas pessoas que aquilo das prendinhas era uma tremenda injustiça. E a directora de Serviço proibiu para deixar de haver "problemas" no serviço. Porque ninguém queria fazer uma lista oficial e sempre que alguém fazia anos dar x... porque assim deixava de ser surpresa. É tão mais giro dar sempre prendas aos mesmos e os outros só pagam. 

Concordei com a chefe e ficou dito que quem quer dar que dê na rua, fora do serviço... excepções feitas claro a situações de doença (um postal) ou motivos de grande celebração (anos de carreira ou serviço). 

A chefe foi se embora e começou logo a rebaldaria, entro e pedem-me logo dinheiro para uma colega do serviço que eu até nem desgosto... que ela fazia anos e a nível pessoal estava em baixo... e acedi e dei dinheiro e nem assinei o postal, porque a m*** da pressa era tanta que nem esperaram por mim um dia. 

Quando uma auxiliar ficou doente, pedi ao pessoal para participar num postal... ui que difícil foi por estas alminhas a assinar, quanto é?! E eu então é um postal cêntimos de certo... mas todos muito hesitantes em assinar, lá assinaram. 

A mesma rapariga fez anos, certo a dois anos seguidos que não lhe damos nada, mas tb não me lembro de terem pedido novamente para ninguém.

A diferença porque disse que não... é que suspeito assim mesmo a grande que a rapariga fez um jantar no fim de semana que passou e convidou algumas pessoas do Serviço... até porque na foto do restaurante consigo ver algumas caras.... caras essas que agora querem dar uma prendinha a rapariga. 

Disse que não... pois claro que disse, quer dizer não tem a decência de convidar para o jantar, mas depois dou prenda... ora fdx senão sou colega para ir ao jantar de anos dela também não o sou para dar prenda... ok a rapariga até pode nem saber de nada... Mas as alminhas que foram ao jantar que se juntassem e dessem no jantar boa... 

 

Maquilhagem sim please

Ok... eu já me maquilhei todos os dias, excepto fins de semana em casa. Desde que fui mãe já não há tempo de manhã para isso, haver até havia se eu não tivesse tanto sono. 

Ora hoje foi um dos dias que a madame decidiu que era a mamã que dava o pequeno-almoço e a sua mãe estava com o tempo contado, parou de secar o cabelo a meio, porque o pai pediu SOS.... e pronto saio de casa como cabelo semi molhado e nada de make up, nem o BB cream que o valha....

Liga-me o meu parceiro nos estudos (vou sair daqui cheia de artigos científicos) e pede-me para ir ter com ele ao serviço dele à sala de reuniões, lá lhe ligo porque não a encontrava. E entro onde, numa sala cheia de médicos que tinham estado numa reunião de serviço. 

Se pudesse me encolher e desaparecer teria o feito.... pedem-me para sentar e depois o companheiro de crime apresenta-me ao pessoal, e graças aos santinhos alguns senhores Dr. saem, os outros ficam a fazer brainstorming para ideias para apresentar num congresso. E eu lá a dar o sim ou o não, acho que não se pode fazer... eu sem make-up e com o cabelo num desalinho. 

 

Quero lá saber da música "ela é bonita sem make-up" mas o dito ajuda e muito na minha auto-confiança. 

 

E sim a minha vontade de matar o dito que me chamou a uma reunião, nem eu sabia que ia para uma reunião.... é gigante.

Campanhas que valem a pena

A Persil lançou uma campanha #dirtisgood e #Freethekids. Já o Skip também lançou a campanha o ano passado é Bom Sujar-se. Podíamos pensar ok, isto nada tem haver com as nossas crianças, pensamos logo em crianças fechadas e presas em instituições. Errado tem haver com todas as crianças do mundo. Ou se calhar as do mundo desenvolvido. 

Quando fui a Cabo Verde, notamos que sim as crianças estão sujas, nunca ou raramente viram um doce, passam fome e não tem grande educação escolar. Mas vemos um brilho e alegria nos olhos deles, porque estão a brincar. De uma garrafa de água fazem um carrinho, de trapos uma bola. 

E os nossos filhos, se tirarmos todos os brinquedos deles, o que sabem eles fazer?! Se os pusermos na rua e dissermos, explorem divirtam-se, provavelmente ficam a olhar para nós. 

A culpa é de quem?! De todos nós, pais, escolas e governo. 

Culpa de nos pais que estamos tão ocupados com o limpar a casa e manter a vida organizada, que nos esquecemos que quando tínhamos a idade dos nossos filhos estávamos na rua a brincar. Pois agora dizemos que as ruas não são seguras. Mas eu digo que infelizmente nunca foram.... só que a diferença é que agora nos incutem um medo enorme, do rapto, da morte e nem vemos o mal que estamos a fazer aos nossos filhos. Prendemos-os em casa, porque agora a mãe esta a tratar da roupa, ou da limpeza e não podes ir a rua. Agora não porque o pai esta a ver o futebol ou a trabalhar?!

A culpa é de todos nós se pensarmos que o fim de semana tem 48 horas e nem 1hora é passada na rua a brincar... Sim choveu imenso este fim de semana, mas houve períodos de tempo em que não choveu.... se a deixei ir a rua, não.... porque, porque esta a limpar a casa porque ia ter amigos em casa. E porque geralmente está muito frio. Mas e nos países Nórdicos como fazem, pois as crianças saem a Rua e brincam também e lá está mais frio do que cá. Só desculpas....

Da minha parte quando vi o vídeo pensei, uffa a M passa todos os dias 1 hora na rua comigo durante a semana a brincar, mas depois penso bolas os reclusos tem direito a 2 horas por dia. 

E ai entra a escola, os educadores, e o Governo. Exige-se mais das nossas crianças do que de nós próprios. Como simples, todos os nossos filhos passam mais horas numa escola / creche / ATL do que nós no trabalho. E depois pensamos, ah mas estão a brincar. Quem nós diz que o tempo que tem para brincar é suficiente?! 

Eu recordo-me de até ao 4 ano ter apenas aulas de manhã ou de tarde e ia para casa brincar. Hoje olho para a minha sobrinha e tem tantas aulas como eu no 5º ano, não a nível de disciplinas mas tempo em sala. 

Como podem exigir a mesma concentração de uma criança de 6/ 7anos de uma criança de 10 anos? 

A minha sobrinha chega a ter duas horas de matemática e de português. E tem 8 anos. E depois quantas crianças para além da escola, ATL ou actividades ainda chegam a casa com mais TPC?! Nós chegamos a casa e relaxamos ou não do trabalho, mas geralmente o trabalho fica no trabalho. Nas crianças ele volta com ela... a escola está sempre presente. 

Nós como pais temos de tentar libertar os nossos filhos, nem que seja apenas duas horas no sábado e duas horas num Domingo para ir passear. Eles merecem e nós também.... e não é por 2 horas que a casa vai ficar um caos, ou o trabalho vai ficar por fazer.