Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Odisseias nunca mais parte 3

Estimada Cliente,

Esperamos que esta mensagem a encontre bem.
Agradecemos o seu contacto que mereceu a nossa atenção.

Relativamente à sua mensagem, desde já pedimos desculpa pelo sucedido, no entanto existem situações que não conseguimos prever e obviamente tentamos encontrar
soluções para solucionar o problema aos nossos clientes, uma vez que a sua total satisfação é a nossa prioridade. Gostaria apenas que compreendesse que por vezes,
devido ao intervalo de tempo entre a solicitação do artigo e o pagamento ser efectivado, é ultrapassado em pequena escala o nº de encomendas efectuadas e/ou por vezes,
 uma vez que o fornecedor não tem exclusividade para connosco, não conseguem também por vezes dar resposta ao º de encomendas solicitadas.

Neste sentido e apesar de haver um controlo rígido no nº de encomendas que deixamos que sejam realizadas, por vezes estas situações acontecem, pelo que peço a sua
compreensão, felizmente não se trata de uma situação comum.

O reembolso do valor do seu voucher será processado com a maior brevidade possível.

Pedimos desde já as mais sinceras desculpas pelo transtorno causado.
Ficamos ao dispor caso persista alguma questão adicional. 
Contando com a sua preferência, desejamos um bom dia.

 

Finalmente uma resposta da Odisseias, mas que não me convence minimamente, a meu entender mesmo que por mero acaso tivessem mais compras do que as contratadas com o fornecedor ou mesmo que o fornecedor não tivesse gerido bem o stock por não existir uma exclusividade como eles referem, no meu ponto de vista não abriam mais vendas e tentariam mesmo assim dar o produto a quem comprou legitimamente o produto aquele preço...

A odisseias falhou em várias coisas:

 

  1.  Não avisou do atraso da entrega, nem da rotura de stock. Só soube da mesma porque andei a insistir com eles e a gastar balúrdios ao telefone.
  2. Não deu explicação ao sucedido quando falei ao telefone apenas já não temos Stock, e eu mas como não tem isso é problema o vosso, quando comprei havia logo deveria de receber o produto... nada apenas de o NIB.
  3. Dei o NIB uma primeira vez, mas a informação não foi processada.
  4. Ao fim de 4 mails a criticar o funcionamento do serviço e o porque de terem aberto novamente a venda das mopas quando me acabaram de dizer que não tem stock, é que decidiram enviar uma explicação que deveria de ter sido logo dada no início.

 

Por isso continuo com a mesma má impressão e má imagem da Odisseias, que só se importa com o quanto vende, para além disso eu recordo-me da oferta supostamente terminar a meia noite e eu não a ter comprado, e por um acaso no dia seguinte estar a ver as ofertas e encontrar novamente a mopa lá, logo a partida não teriam vendido tudo certo... pois pelos vistos não eles no meu entender querem é o dinheiro do lado deles, depois se tem ou não o produto para oferecer isso é apenas um pormenor.

O serviço ao cliente deles é péssimo e actuou de forma errada, se fosse minha a empresa, não iria de certo fazer jogadas destas... até porque se o número ultrapassou o limite de vendas, então sabiam logo a partida que não iriam ter stock para o cliente, então mexiam-se para resolver o assunto ou avisavam o cliente. Não é esperar que o cliente se lembre que deixou lá 75€ na conta deles e não recebeu nada em troca.

Sempre a aprender

Não obrigo a Ana a dar beijinho e abraços a adultos (em bom rigor a ninguém). Nem obrigo a ir ao colo nem nada que invada " a sua bolha". Entendo que não sou dono do corpo dela. Obviamente que ela deve tratar as pessoas todas com respeito mas isso não contempla demonstrar afecto físico para as agradar. O seu corpo é sua propriedade privada e incentivo-a, desde cedo, a ouvir a sua intuição: se se sente confortável e por iniciativa própria lhe apetece cumprimentar com um beijinho ou um abraço uma pessoa, tudo bem; se não se sente confortável e não o faz, tudo bem também.

 

Depois de ler isto aqui, não posso deixar de concordar e de partilhar... e mandar ao meu marido, porque a M nem sempre quer dar beijos, ou melhor é preciso ela gostar muito para dar um.... e agora que li isto vi que procedemos mal... sempre a aprender, sempre a aprender.