Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

miminhos da amiga secreta

IRecebi na sexta um aviso de que a querida m-m era minha amiga secreta e teria de levantar a prenda na segunda. Passou o fim de semana, fomos ver o panda. Acho q a M gostou. E no domingo eramos para ir ter com a m-m. Mas acordei com uma valente gripe que me valeu ir as urgências por me doer a respirar. Felizmente nada nos pulmões mas sem medicação fico cheia de dores. Hoje fui levantar a encomenda e a M ficou super feliz diz que é para o banho dela lol roubou logo um chocolate. E eu adorei o postal.

20151221_132556.jpg

Nada me afectou tanto como isto

Quem segue a Chica Ana, sabe bem ao que me estou a referir, então no meio de uma missa para crianças vão ditar um discurso super agressivo de que o Pai Natal não existe é símbolo do consumismo e para irem colocar os panos vermelhos com o símbolo de jesus na janela, mas atenção comprem aqui a saída da Igreja...

Sim não consumam nas lojas, mas dêem mais dinheiro a nós que o Bacalhau está caro e o senhor padre coitado não tem onde comer...

 

Só de ler isto fiquei super revoltada, então eu não vejo a alegria que a M tem ao ver o pai Natal, sim só este ano percebeu quem ele é... e já recebeu duas prendas da mão dele... óbvio que vou continuar sim a dizer que o Pai Natal traz prendas a meninos que se portam bem, que ele é o Saint Nicholas e vou contar-lhe a história da lenda, por isso não me venham com M**** que foi a Coca-Cola que o inventou, porra que não foi, se vestia-se de Azul antes sim mudou de cores ok... o resto não me importa... e não vejo como o Pai Natal seja incompatível com o menino Jesus, antes diziam-me que era o Menino Jesus que dava presentes a todos os meninos, mais tarde disseram me que era o São Nicolau aka Pai Natal que entregava os presentes a pedido do menino Jesus...

Vêem se até os meus avós e pais sabiam dar a volta a questão, porque fazer um discurso de ódio ao Pai Natal... epa querem justiça é na boa... eu não sou nada a favor da discriminação das outras religiões e se as outras religiões não tem direito a comemorar os seus dias em feriados, a Igreja Católica também não deveria... querem tirem férias... querem ser intolerantes, então bora lá por os pontos nos iiisss e começar a tratar as coisas como elas deviam de ser.

Por onde andaste Niki

Simples fui a pediatra e a M esta com infecção respiratória e a antibiótico, então fiquei em casa com ela na quarta-feira.

Fizemos bolachas para dar aos amigos da creche para a festa de Natal, chegou a um ponto que eu já estava arrependida de fazer as bolachas sozinha com ela... então havia plasticina por todo o lado porque depois de fazer a massa das bolachas a dita teve de ir para o frigorifico ver se solidificava mais um pouco. Li mal a receita e aquilo dizia deixar no frigorifico de um dia para o outro e eu não tinha esse tempo. Então baixei a temperatura do dito e fui por a M a brincar com plasticina... quando achei que já era altura de ir moldar as bolachas, noto que a massa colava-se a todo o lado... então toca a por farinha e tentar salvar a situação, o stress ao rubro já..a M chega a minha beira com plasticina vermelha colada no ohoh, um concelho não comprei plasticina da imaginarium.  Ponho o ohoh na máquina e vou com ela a sala e vejo a mesa toda cheia de plasticina vermelha, como aquilo é muito mas muito mole cola-se a todo o lado, vou buscar farinha e tento resolver o problema mas a M dá numa de querer ser ela a mexer na plasticina e na farinha.... resultado deu birra porque lhe tive de tirar a plasticina das mãos a força porque se mole já estava então ficou tipo massa de pão colada as mãos dela.

Respirei fundo e fui de novo para a saga das bolachas, lá consegui acertar na massa e chamei a M, lavou as mãos e começou a fazer bolachas, as primeiras foram ao forno... quando saíram e arrefeceram provamos uma a meias depois do almoço... estavam deliciosas... e toca de continuar... ai a M passou o tempo todo a comer a massa do que a fazer as ditas lol... mas o resultado quando ela foi dormir a sesta foi uma casa cheia de farinha e de plasticina por todo o lado.

O que vale foi dormir 4 horas de sesta, sim estava rota de tantos dias a dormir mal, bastou 3 tomas de antibiótico para a tosse ir se embora e ela dormir bem.

Ontem fui a uma formação e ela ficou com os avós até ser horas de ir para a festa da escola, era para não ir novamente, já o ano passado faltou pelo mesmo motivo. Mas este ano ela tinha ensaiado tanto e como a tosse já tinha ido embora perguntei a educadora se podia ir, nem que fosse pela prenda que o pai Natal ia dar... do tipo chegar lá no final só para ir buscar a prenda... a educadora disse para ela ir mesmo participar, que a menina não teve febre e se já não tossia estava bem melhor que a turma que anda toda cheia de tosse e ranhos.

Assim lá fomos a festa de Natal, a M ia aos saltos a dizer Natal, Natal... pensei que fosse chorar como imensas crianças, mas não entrou é certo com a tutu, mas lá participou na música o relógio faz tic tac.... e depois ainda teve mais 3 músicas com o professor de música e deixou-me de lágrimas nos olhos de tão bem que esteve... e nota-se que adora música... e nem precisou de tutu para essa parte...

Recebeu a prenda do pai natal e ficou eufórica... ao ponto de ter de ser eu a distribuir as bolachas pelos meninos e pelas educadoras... ficaram todos surpreendidos fui a única a fazer este gesto e as educadoras e auxiliares ficaram emocionados por me lembrar delas também mesmo não sendo da sala da M. E claro as bolachas desapareceram por todo o o lado os meninos da sala dela estavam a lambuzar-se com as bolachas.

 

20151216_141304.jpg

 

A maior prova de amor que tive

Não sei se já contei aqui, mas ontem lembrei-me da maior prova de amor que o B fez por mim. Quando em Fevereiro gritei ao B cheia de dores para ligar a saúde 24 ou ao INEM, e vi o olhar de pânico dele. Quando me levou a correr ao hospital a acelerar e pensar que devia de ter chamado o INEM e não ter ouvido a senhora da saúde 24 que disse para ele me levar ao hospital mais próximo.

Quando ouvimos no altifalante o meu nome e o pedido de acompanhante para falar com o médico, eu disse logo ao B não são boas notícias e o ar de assustado dele. Quando o médico disse que tinha de ser operada de urgência, que dali só saia para um hospital público em ambulância, quando me levou ao quarto e não queria sair de lá, perguntou logo se tal como no parto podia dormir lá... lembro-me da auxiliar dizer, pode sim, mas tem uma filha para cuidar, vá ter com ela, eu cuido da sua mulher... e ele sempre a insistir para ficar. Tive de ser eu a expulsar e dizer que o queria com a nossa filha.

No dia seguinte exigiu ir comigo na ambulância, e os tripulantes e enfermeiros disseram que era a primeira vez que alguém fazia um pedido daqueles que nem sabiam se era permitido... e lá foi ele comigo e com uma enfermeira na ambulância fazer o CPRE... ficou comigo na sala de recobro até eu entrar... mais uma violação do protocolo... era a única com acompanhante, e ele sempre ali a segurar me a mão no meio das minhas queixas de dor e de enjoos... quando acordei não estava lá, porque vomitei me toda e tiveram de me limpar para estar apresentável para o meu marido (disse a enfermeira)... mas mesmo assim ele diz que quando me viu os lençóis que pareciam vomitado do Shrek....

Durante uma semana ele não foi trabalhar, levou o computador para o meu quarto e ficou ao meu lado, disse sempre que a M estava bem e não precisava dele.... a empresa dele foi impecável deixou o ficar comigo sempre no hospital. Quando acordei da cirurgia a primeira pessoa que vi foi ele...só me deixou quando a enfermeira disse vamos pô-la novamente a dormir, diga-lhe adeus que ela não vai acordar tão cedo.. e foi a última pessoa que vi no recobro, quando voltei a acordar já ele não estava mas já passava da meia noite e foi expulso pela enfermeira.

Quando lá estive e ele não estava, à noite e antes das oito da manhã, as enfermeiras e auxiliares disseram-me várias vezes que tinha imensa sorte, que nunca viram um marido tão empenhado e cuidador e que para ele sair do hospital tinham de o expulsar... que pediu para lhe ligarem assim que eu sai-se da cirurgia, que pediu para estar comigo nos dois recobros...

Esta foi a maior prova de amor que ele me deu :D.... não foi nenhuma prenda, nenhum pedido de casamento, nem uma declaração de amor lamexas, foi a sua atitude perante a minha doença que me fez ver o amor que ele tem por mim... e só espero me lembrar disto quando ele for velhote e chato e precisar de mim...

Se bem que com o rol das minhas doenças mais depressa cuida ele de mim do que eu dele... e porque me lembrei disto... porque ontem voltei a ter imensas dores, dores essas que já me levaram as urgências em Fevereiro deste ano, a fazerem exames e TAC e a ficar na lista de espera para endoscopia e colonoscopia... e ele dizer vai ao hospital... e eu não, eu não tenho tempo para isso... não vão descobrir nada...desde que fui operada que volta não volta fico muito mal disposta, ou com cólicas horrorosas... mas depois não tenho nada... só suposições ou uma crise renal porque tenho micro cálculos renais, ou que é o intestino e é uma crise de Sindrome do Colon Irritável, ou que é gastrite... ou colite nervosa...

Ontem tive uma crise enorme, e hoje acordei ainda com pontadas, malditas festas de natal... excesso de gorduras acho eu...

Quando se tem filhos nunca deixamos de amar

O amor tem várias definições, várias variações, existe o amor que une os irmãos, os filhos para os pais, os pais para os filhos, o amor que se tem aos nossos animais, o amor numa relação e ainda existe o amor que se tem pelos progenitores dos nossos filhos.

Quando tive a M, o meu amor pelo B cresceu mais do que eu achava possível, aquelas primeiras semanas fui invadida por vários sentimentos, mas o que mais me surpreendeu foi sentir-me a apaixonar de novo pelo B, aconteceu no hospital, vê-lo cuidar da M e de mim... vi que fiz a escolha certa. Claro que nasceu outro amor nesse dia, o amor pela M maior que eu própria, um amor maior, um amor que me faz saltar de imediato para a proteger. Se o B a está a repreender ou a disciplinar preciso de me controlar e as vezes falho, porque o meu instinto de protecção entra ao rubro.

Mas quando a M nasceu eu entendi logo ali, aconteça o que acontecer vou sempre amar e estar ligada ao B... pode não ser o amor que se tem numa relação amorosa, mas será sempre um amor que ali fica, uma ligação mais forte do que nós próprios. Não sou a única que digo isto, e já o vi a acontecer com várias pessoas, uns que voltam a ficar juntos após anos separados. Outros em conversas com quem se separou, que dizem sempre que nunca vão esquecer o pai dos filhos ou a mulher dos filhos, mesmo estando noutra relação.

 

 

Cansada

Lá vou eu rumo a pediatra hoje novamente....desde fins de Novembro que a M tem tosse, tosse essa que já passou a bronquiolite e depois manteve-se e passou a tosse irritativa, mas não passa e nós e ela estamos K.O de tanto nos levantarmos em sobressalto... sim ela fica vermelha de tanto tossir e acorda a noite.... na noite anterior a esta foi quase de 10 em 10 min... hoje o meu marido deitou-a e em meia hora tivemos de ir ter com ela 3 vezes... uma das vezes já estava ela sentada a tossir vermelha.

Estou a ver que o raio da vacina não teve grande efeito, ou se teve nem quero imaginar ela pior do que esta...