Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Bolachas para o chá

O carnaval passou-se no quentinho em casa, nunca fui muito dada ao Carnaval. É ridículo, está imenso frio em Portugal, a maioria dos disfarces são finos, logo temos de vestir as crianças com camadas de roupa e mesmo assim quando vão desfilar ou rapam frio ou vão como na escola da M, todos de casaco.

Nada contra a brincadeira dos disfarces e afins, alias acho que isso estimula a imaginação das crianças, mas já o fazem na escola com a arca da imaginação.... sempre que escolhem lá ir brincar podem se disfarçar daquilo que entenderem e brincarem assim. Não é preciso dias dedicados a isso.

Então este Carnaval super chuvoso nem deu para sair de casa na Terça, e como entreter uma criança, bora lá fazer bolachas, aguentou 1 min, logo a seguir pediu comida lol.

 

Fiz a receita que a Educadora da M gentilmente cedeu na altura do Natal, deu como prenda aos pais, um recipiente decorado pela M com um preparado para bolachas que a M pode-se comer :D. Na altura já as tinha feito e desta vez repeti a receita mas com alterações ao que tinha em casa.

 

Ingredientes:

110 gr de farinha com fermento

1 c. de chá de gengibre em pó ou de canela.

1 c. de chá de bicarbonato de sódio

2 c. de sopa de açúcar amarelo (Desta vez usei apenas 2 c. de sopa de melaço de cana para gastar o que tinha em casa e não usei o açúcar)

2 c. de sopa de mel

50 gr. de margarina vegetal

 

 

Preparação:

Colocar todos os ingredientes secos e se quiser oferecer coloque num frasco enfeitado com a receita.

Depois colocar a margarina vegetal e misturar com ajuda das mãos ou num processador de comida ou bimby (velocidade 5, 30 seg)

Juntar o mel ou o melaço e misturar pelos mesmos seg. a mesma velocidade.

No final fazer uma bolas e achatar com um garfo.

Rende pouca quantidade por isso podem duplicar se quiserem.

 

20160209_145648[1]Aqui o frasquinho decorado pela M

20160209_145612[1]

 Aqui as bolachinhas.

 

 

Passeio a Belém e uns pasteis de nata especiais

Uma semana confinada em casa e a M já estava no auge das suas birras, tudo era motivo para ela ficar em modo de diva...assim quando a sogra disse que ia passear a Belém este Sábado eu e o B dissemos logo que íamos com a M também, visto que a varicela já tinha passado. 

Logo me lembrei ora bolas vamos aos pasteis de Belém e a última vez que a M teve em contacto com algo que não podia comer (calhou eu não saber e não ter nada de especial para ela) houve birra e lágrimas porque não entendia o porquê de todos comerem e ela não. Podem me crucificar a vontade, principalmente as mães apologistas do zero açúcar nas crianças. Mas a M de facto esta numa idade que já quer provar tudo e na minha opinião é ridículo estar a comer algo e dizemos que eles não podem, obviamente que vai dar em birras e lágrimas. Claro que se for álcool ou refrigerantes eu não lhe dou a provar e tento distrair com outra coisa. 

Então assim surge novamente uma ida a net a procura de pasteis de nata veganos... surpresas poucas receitas e ingredientes estranhos na sua maioria. Eu decido fazer a receita original tirar os ovos e substituir produtos por leite e natas de soja... o resultado divinal, aprovado por todos.... e não ficam nada atrás dos originais. Por isso só pergunto ovos para que?! 

 

Pasteis de Nata sem ovos

 

Ingredientes:

Massa folhada (1 a 2 embalagens eu comprei uma sem ovo e sem vestígios de ovo)

1 pacotes de natas de soja da alpro especial para bater

250 ml de leite de soja de baunilha

1 pau de canela

100 gr de açúcar mascavado (podem por menos)

50 gr de farinha

1 casca de limão (parte amarela)

 

Colocar as natas, o leite, o açúcar e a farinha e misturar tudo na velocidade 4 durante 10 seg. 

Colocar o limão e o pão de canela e colocar a borboleta da bimby e programar 18min na temp. 90ºc velocidade 1,5.

Ligar o forno a 200ºc, preparar a massa folhada e forrar as formas (eu não tinha umas adequadas aos pasteis de nata e aconselho a arranjar). 

Fim do tempo tirar o pau de canela e a casca de limão e verter o recheio nas formas, atenção não encher demasiado porque durante a cozedura o recheio tende a subir. 

Vai ao forno durante 20 minutos e depois é só esperar para comer que é a parte mais difícil. 

 

Enjoy

P6120879.JPG

 

Olha eu armada em mãe do Ruca...

Como andava a remoer o facto de não ser a mamã que idealizava, na minha cabeça seria a mãe de avental a fazer bolos e bolachas para os mais novos. Este fim-de-semana pego numa receita que a M podia comer e parto eu a fazer bolahcas e depois o raio das bolachas ficam tão rijas que a M não conseguia comer... mas nós adultos conseguimos por isso fica a receita... E já agora quem conseguir ou tiver uma receita de bolachas moles sem ovo que diga a je ok...

 

Bolachas de aveia e laranja:

  • 100 gr de flocos de aveia integral
  • 150 gr de farinha 
  • 80 gr de açúcar amarelo
  • casca de meia laranja sem a parte branca
  • 20 gr de azeite
  • 60 gr de sumo de laranja
  • 1 pitada de canela em pó
  • 1 pitada de sal

Pré-aqueça o forno a 180º.

Coloque no copo da Bimby os flocos de aveia, o açúcar e a casca de laranja e programe 20 segundos, velocidade 9.

Adicione os restantes ingredientes e programe 20 segundos, velocidade 6.

Estenda bem com um rolo da massa (muito díficil de estender e cortar e deitei metade fora, tentem por um pouco mais de sumo de laranja) e corte com cortador ou com um copo 

Coloque num tabuleiro forrado ou com papel vegetal ou com um tapete de silicone e leve as bolachinhas ao forno por 12 minutos.

 

CYMERA_20150511_143118[1]

 

 

 

Bolo de pêra vegano

Este mês de Janeiro houve duas festas de aniversário na sala da M. Ninguém me avisou de nada apesar de eu ter pedido, chamei a atenção a educadora e o que ela me disse era que os pais só os tinham avisado no dia que iam levar bolo. E que só numa futura reunião de pais é que podíamos pedir aos pais que avisem com antecedência para que eu possa levar bolo especial. 

Então com pena da M decidi no Domingo fazer bolo só para ela e fiquei espantada mais uma vez com tão poucos bolos de pêra e receitas que não me agradavam nada, então decidi inventar um e o resultado é de comer e chorar por mais, nunca vi a M comer e pedir tanto bolo no Domingo, claro que só demos 1 fatia mas ela devorou literalmente a fatia, o pai comeu praticamente metade do bolo. 

 

CYMERA_20150209_092134[1]

 Ingredientes:

250 gr de farinha

150 gr de açúcar

150 gr de óleo

1 colher de fermento

1 iogurte de soja (sabor de alperce)

150 gr de leite soja

1 pêra média cortada aos cubos

2 colheres de sopa de açúcar

 

Preparação:

Pré-aquecer o forno nos 180 ºC

Juntar todos ingredientes, excepto a pêra e as duas colheres de açúcar, e mexer vigorosamente ou então na bimby colocar 20 seg velocidade 4. 

Juntar a pêra aos cubos e misturar as duas colheres de sopa, com este granulado colocar na forma de bolo inglês (se não for de silicone, unte antes) de forma a cobrir o fundo. Deitar a massa por cima e levar ao forno até o palito ficar seco, mais ou menos 30 min. 

Deixe arrefecer antes de desenformar, a parte da pêra caramelizada fica no topo após desenformar. 

 

 

P.S- No fim de semana, estive a pensar e se a M poder comer leite no futuro levo para a creche umas tabletes de kinder e dou instruções para lhe darem sempre que há bolo na escola, para que ela não se sinta excluída (se não poder introduzir o leite, dou chocolate vegano). Acho que é mais fácil isso do que pedir aos pais para avisarem. Coisa que eu não entendo o porque de não avisarem, eu avisei da M... custa assim tanto aos pais avisar?! E aliás eu perguntei se havia crianças alérgicas para o caso de haver eu adaptar-me a todos. E isto foi antes de eu saber que a M tinha alergias alimentares. 

 

Peixe cremoso com bechamel de soja

Lembrei-me de como é bom o bacalhau com natas, não havendo bacalhau pensei em substituir por peixe, mas depois a M não pode comer. Então o que decidi fazer, inventar pois claro. E o resultado é um peixe muito cremoso um qb de doce (talvez com bacalhau não fique tanto) devido ao leite de soja. 

CYMERA_20150129_083903.jpg

 Ingredientes:

3 postas de pescada (usei daqueles lombos sem espinhas)

5 batatas médias

1 cenoura grande

1 cebola

mistura de especiarias de peixe 

1 embalagem de "natas" de arroz da alpro

600 gr de leite de soja

75 gr de farinha

40 gr de margarina de soja 

sal q.b

pão ralado (opcional) 

azeite

 

Preparação:

Coza o peixe no cesto da bimby com água quase a cobrir o peixe (atenção que a pescada faz muita espuma) durante 15 min temp 100ºc velocidade 1. 

Reserve o peixe e coloque azeite (50gr) e as batatas cortadas em metades e a cenoura também em metades pique durante 15 seg. na vel. 4, o resultado é batatas e cenouras em cubinhos pequenos. 

Programar 5 min. temp 100ºc e velocidade 1 inversa. Depois adicione tempero de peixe e sal e as "natas" de arroz e o peixe esmagado com um garfo e programe mais 5 minutos a mesma temperatura e velocidade. 

Pré-aquecer o forno a 200ºC.

Retirar para um pirex e preparar o bechamel de soja, inserir a farinha, a margarina, o leite e sal q.b e programar 8 min na temp. 90 velocidade 4.

Colocar por cima do preparado anterior, se quiser polvilhar com pão ralado sugiro o aromatizado com alho e salsa. 

Levar ao forno a 200ºc durante 15 min e bom apetite.

 

Digam-me o que acharam os vossos special kids...

Para partilhar....

Não sei se lembram do caso do Mateus que publiquei aqui. Pois esta super mamã criou um vídeo para mostrar um pouco os desafios que mães como ela passam. Refiro aqui mães como ela porque é isto que faz muita confusão as pessoas, as alergias tem níveis diferentes de reacção, desde a não ter nada ou um ligeiro mal estar na ingestão, até as manifestações cutâneas e choque anafilático. 

A M esta num classe baixa quase inexistente de alergia e vai iniciar, se as análises cutâneas derem negativas, a introdução do ovo e do leite. Logo não tenho grandes preocupações de se ela ingerir algo acidentalmente que possa morrer. 

Mas infelizmente existem muitas crianças e adultos que sim, se ingerirem ovo ou leite podem morrer, ou fazer-lhes muito mas muito mal... qualquer vestígio de leite ou ovo pode causar isso. 

E sim a nossa alergologista tem um menino com alergia ao ovo, detectada aos 6 meses quando após a mãe fazer uma omelete pegou no menino ao colo porque chorava e ele inchou. 

E sim ela sofre com o preconceito das escolas, sempre que é dia dos miúdos cozinharem, põem no a parte... em vez de aceitarem fazer receitas sem ovo. 

Vejam o vídeo e entendam o que estas Super MAMÃS passam...

 

P.S - Um simples gesto que todos podemos começar a fazer, ontem no hospital de Coimbra a M comeu bolachas dela e um menino de 18 meses olhava e eu perguntei não a ele mas sim a mãe se ele podia comer, e disse não tem leite nem ovo... e ela disse acho que sim vamos ver se ele gosta. Percebi que ele não tinha alergias .....Sempre que oferecerem comida a uma criança não lhe dêem a ela, mas perguntem sempre ao pai se ele pode comer... para além de ser educado, é uma grande ajuda a pais com crianças com alergias.

 

Banana Bread ou bolo de banana...

Nas minhas pesquisas de soluções de pequeno almoço alternativas para a M (para não dar sempre papa e iogurtes) e visto que mães com filhos com alergias alimentares ao ovo e ao leite, tem uma enorme dificuldade em comprar aquelas alternativas fáceis para os dias mais complicados. De certo mães de Portugal se olharem para a vossa despensa, tem sempre pão de leite, croissant, manhanzitos, bolicau, queques para levarem para a escola já em saquetas individuais e afins.... um mundo repleto de opções (talvez não tão saudáveis) para aqueles dias que temos menos tempo. 

Pois mas mães com filhos com alergias não tem essas opções ou se as tem é a um preço proibitivo. Então pus-me a pesquisar primeiro em pão de leite ver se encontrava alguma receita para não ter de ser eu a pioneira... mas o que me deparei logo foi no Banana Bread e eu pensei ora aqui esta uma opção que pondo pouco açúcar me parece boa para toda a família. 

O problema é que todas as receitas que via levavam coisas um pouco complicadas que eu não tinha, como sementes de chia para substituir o ovo.

Então pus-me a pensar e a pensar, e pensei então se a banana substitui o ovo pode ser que resulte se eu usar uma receita banal e alterar eu. Mas a noite antes de ir fazer o tal bolo ou pão, fiz nova pesquisa na net e encontrei aqui o que eu queria. Confesso que fiquei séptica ao ver que nem leite vegetal levava... mas o resultado ui o resultado, meio bolo voou ontem a noite ainda morno... e a M hoje de manhã adorou depois do leitinho o seu banana bread. 

 

10933791_1552243071698073_3480486207490250419_n.jp

 

Ingredientes (1 forma bolo inglês)

2 bananas médias (150 gramas) mas podem usar até 4 bananas (300gr)

110 gr de açúcar amarelo (podem por menos se as bananas estiverem muito maduras)

125 ml de óleo vegetal

1 colher de chá de canela

1 colher de chá de essência de baunilha

180 gr de farinha

1 colher de chá de bicarbonato de sódio

1 colher de chá de fermento em pó

1 pitade de sal

 

Preparação

Pré-aquecer o forno a 180º e untar uma forma de bolo inglês.

Colocar as bananas na bimby juntamente com o açúcar e programar 15 seg velocidade 4 (triturar as bananas e o açúcar com varinha mágica). Adicionar o óleo e programar 15 seg velocidade 5 (utilizar a varinha). Depois introduzir a canela e a essência de baunilha e misturar um pouco, adicionar a farinha, o fermento, o bicarbonato de sódio e o sal e misturar 30 seg na velocidade 4 (ter atenção antes de puxar a farinha das paredes do copo antes de colocar a trabalhar). Quem não tem bimby pode misturar com uma colher de pau.

Colocar a mistura na forma e levar a 180º durante 30 minutos ou até o palito sair seco.

 

O meu ficou mais escuro do que do site original, porque estava com tonturas e esqueci-me de por o temporizador e acho que ficou um pouco de tempo a mais. Mas estava delicioso. 

 

 

Panquecas de fim-de-semana...

Caso se lembrem ou não a M de 14 meses, começou aos fins-de-semana a pedinchar a nossa comida após o seu leite matinal, e eu decidi que este fim-de-semana iria dar-lhe o pequeno almoço e ver se o come. O Sábado comecei pela papa normal dela (queria ter a certeza se não comia era por estar cheia ou sem vontade e não por ser alto estranho) comeu tudo muito bem e passou o resto da manhã sem pedinchar bolachas, saldo positivo. Então faço eu as papas de aveia que postei aqui no blog e a reacção dela (Domingo) é fazer o mesmo que faz ao nestum, come a primeira colher a segunda manda fora e a terceira não quer...então sem dramas faz-lhe o leite e se ela pedir come umas bolachas (não pediu). 

 

Ao lanche para ela não andar sempre de iogurte e papa, lembrei-me de umas panquecas vegan, eu adoro panquecas normais e adoro fazer ao domingo (preguiça de fazer durante a semana, levantar 10 min mais cedo é critico para mim). Confesso que estava desconfiada, panquecas com leite de soja e sem ovo.. hmm o que isto vai dar...e olha que adorei o resultado não se nota diferença nenhuma para as outras que fazia :D... 

2015-01-18 17.02.36.jpg

 

Ingredientes:

200gr de farinha com fermento

20 gr (40gr se quer docinhas) de açúcar mascavado

350 de leite de soja

10 gr de óleo 

1 pitada de sal

 Aroma de baunilha

1 colher de chá de fermento

 

Preparação

Adicione todos os ingredientes secos, excepto o fermento. De seguida adicione o leite e o óleo e a pitada de sal e o aroma de baunilha (a gosto) e misture tudo, no final adicione fermento e misture suavemente. 

Numa frigideira untada verter 1 colher de servir a sopa do preparado e em lume médio esperar que comece a borbulhar e a ficar menos líquido em cima e virar... e servir a gosto, polvilhado com açúcar em pó, canela, mel, doce ou frutas. 

 

A M começou a panqueca dela simples com satisfação, apesar de não ser nada doce e no final bebeu ainda 100 ml de leitinho. 

 

Agora só me falta ser como as mommys do USA que vejo na TV e acordar as 6 da manhã e fazer panquecas ao pequeno almoço.

2015-01-18 17.02.48.jpg

 

As manhãs e umas papas de aveia...

Quem é mãe sabe perfeitamente como as manhãs podem ser caóticas, despachar toda a malta a tempo e a horas mais parece uma missão impossível. Mas para as mães que também tem que ir trabalhar isto parece mesmo uma missão impossível 2. 

Eu sei, eu sei que a M só tem 14 meses, que ainda vou passar pela fase da molenguice, das grandes birras que não quer comer, enfim do diabo a sete.... ou talvez tenha de ser mais o pai a preparar-se para isto. 

Eu entro as 8, com picar do ponto, não tenho propriamente horário flexível para entrar. Já o B tem horário flexível apesar de também ter controlo biométrico (aka pica ponto). Assim decidimos que eu vou buscar a M à creche e o B vai por. Mas desenganem-se se pensam que as manhãs não são tipo eu a andar de um lado para o outro como uma galinha tonta, e a barafustar comigo e com todos como é que é possível que o tempo passe tão depressa. 

A M ainda só bebe leite de manhã, mas no fim de semana passado notei que depois passa o tempo todo a pedinchar comida, não sei se é por nos ver comer, ou se é porque um copo de leite (250ml de biberão) não serem já suficientes. Então este fim de semana decidi experimentar dar pequeno almoço tipo papas, iogurte com bolacha, leite e depois pão com fiambre.

E claro comecei logo a pensar e que as manhãs já vão ficar piores, despachar me a mim e a seguir garantir que o pequeno almoço dela esta ok para o pai dar... lá vou me levantar as 6 da matina. 

Até que pesquisei por pequenos-almoços vegan na web e encontrei um blog vegan delicioso com uma receita maravilhosa e decidi adaptar ao meu gosto.

10906551_1550504728538574_360538679342869076_n.jpg

 Ingredientes 1 pessoa e 1 bebé: 

 

3/4 de uma caneca de aveia (contém glúten cuidado)

1 pitada de canela

1 banana esmagada

3/4 de leite soja

1/4 de água.

 

De noite na véspera, sim leram bem, preparem a aveia... misturem numa taça generosa, a banana, a aveia, o leite de soja, água e uma pitada de canela e vai para o frigorífico de molho. Sim esta parte é a mesma das overnight oatmeals. A diferença reside na manhã, eu não gosto de comer coisas frias no Inverno, dai que ganhe sempre uns Kg teimosos no Inverno. Por isso de manhã só tem de por a taça no microondas e aquecer 2 min, mexer e provar e por a aquecer mais um pouco se ainda não tiver ao seu gosto. 

Eu não adocei com nada porque não achei necessário, e a taça é gigante e eu só consegui comer metade, por isso a outra metade pode ser dada a M.

Por isso mamãs de Portugal e arredores, após dividirem a vossa taça com o prato do filhote, podem por o que quiserem nas vossas papas, pedaços de chocolate, mel, nozes, coco, sementes enfim..

 

Eu pus de véspera numa chávena, coco ralado, passas, sementes de linhaça e amêndoas laminadas e depois de aquecer foi só juntar. 

 

E voilá pequeno almoço gigante tomado (se calhar a história de passar a manhã inteira saciada só funciona se eu comer tudo, mas confesso que não consigo comer muito de manhã).

 

Espero que gostem....

Experimentei e não gostei

Como tenho de levar bolachas para a M para a creche (de outra maneira não ficava descansada que a escola cumpri-se as minhas indicações) pedi logo no inicio ao marido para ir comprar mais bolachas, porque as que tinha em casa as Maria bio da gullon estavam a meio já.  Disse que encontrava no Jumbo para ler os rótulos mas se tivesse dificuldade para ir ao Celeiro e pedia ajuda ai encontrava de certo. 

Esqueci-me de dizer ao homem foi que não era na secção de bolachas mas sim na dieta especial, então ele não encontrou no Jumbo e claro não pediu ajuda. Foi ao Celeiro e após explicar muito bem o que queria a funcionária (sério não lhes dão formação?!) lá encontrou por um balúrdio bolachas, umas muito boas que sabem a coco e tem pepitas de chocolate (sim existe chocolate sem leite) que a M adora e não partilha connosco a não ser se tiver cheia. E outras que abri tipo bolacha maria mas com cereais e fibra. Pois a M não gosta e eu provei e fiquei mas que raio... Não são doces, não são salgadas. Nem sei o que são. Sei que existem adultos com intolerâncias e alergias alimentares e que fazem dieta, epa mas este é o grande problema das dietas para mim, é que é tudo muito semelhante a comer pedaços de cartão. 

E olhem que eu não sou esquisita, até nem gosto muito de doces... por isso quando digo que sabe a cartão é porque sabe mesmo mal, faz me lembrar aqueles cereais de fibra tipo palitos mas com um sabor pior...

Agora terei de triturar aquilo e ir misturando nos iogurtes dela e meus, para ver se o pacote desaparece porque foi demasiado caro. E lá está deviam de dar melhor formação as funcionárias pois se era para uma bebé de 14 meses, algo sem sabor e com fibra, se calhar não é a melhor opção.

CYMERA_20150113_225554.jpg

CYMERA_20150113_225448.jpg