Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Marcas de amor

Desde o 29 de Fevereiro deste ano que tivemos mais uma perda gestacional, está pior que a primeira. Já o tínhamos visto, já tinha tido um primeiro aborto espontâneo às 5 semanas, sendo a minha primeira gravidez seria muito normal. Tive a M e não passa pela cabeça de mulher nenhuma que já passou por uma perda gestacional perder novamente. Lembro da M que descobrimos já bastante tarde estava de 7 semanas, mas assim que a vi senti que tudo ia correr bem. Afinal já tinha tido o azar uma vez e as probabilidades diminuem por assim dizer… sério pesquisem e veem que a perda gestacional é mais frequente na primeira gravidez e depois diminui.

 

Quando aconteceu a segunda vez, a OB ficou sem saber o que fazer, mas eu tinha uma filha saudável pelo meio, sim quis nascer várias vezes, tive sustos… dores de costas e fui de baixa, não foi uma gravidez fácil, mas não tive uma perda gestacional, nem ela nasceu pequena e magrita. Lá em conversa com outro OB, (um supra sumo da Cuf, que quando eu era delegada de informação médica todas me diziam escolhe ele se um dia fores mãe, eu por ser homem não quis e escolhi esta depois de não ter acertado a primeira com a OB da M que só me acompanhou até ao primeiro trimestre… depois escolhi a médica que me fez a amniocentese) ela decide fazer uns primeiros testes das principais causas de perdas gestacionais, algo imune e outro também genético… disse que se um dos valores tivesse positivo que teria de falar com ela… Fiz uns testes, mas nunca pensei em engravidar, já tinha alta a muito para tentar mas sempre deixei andar, daí que a OB tenha reconsiderado e feito o painel de exames. Claro que ouvi de algumas pessoas que era exagero que eu não tinha nada e afins... Vem o resultado e da um positivo fraco num dos anti-fosfolipídios, ou seja uma doença que já conhecia por uma outra pessoa próxima ter perdido um filho vivo por parto prematuro e depois descobriram que ela tinha um problema de coagulação que ao fazer um coágulo na placenta a mesma deixa de conseguir fornecer o oxigénio e o sangue necessários ao crescimento do bebê. Tomou injeções de heparina e tem duas filhas lindas vivas. Mas eu tinha o raio do dito teste positivo fraco, a médica levou que tempos a me responder ao que fazer… o que isso significava… pois a resposta foi repete os exames em dois meses ou se engravidar é tratada como uma grávida que tem o síndrome dos anticorpos antifosfolipídicos (A síndrome dos anticorpos anti-fosfolipídicos é responsável pela formação de coágulos de sangue nas veias ou nas artérias e pela ocorrência de abortos, entre outros problemas. Esta situação pode afectar qualquer órgão, incluindo os pulmões, o cérebro, o fígado, os rins, os olhos, o coração e a pele. As mulheres com esta síndrome podem ter abortos repetidos, podendo igualmente ocorrer a morte do feto próximo do final da gravidez.)

 

As boas notícias são pois que engravidei sim senhores nesse espaço de tempo, morri de medo da primeira consulta… às 6 semanas não contei a ninguém até lá nem família, não por medo de e se me acontecesse alguma coisa tenho de contar, eu conto sempre mesmo que tenha passado por isso é rídiculo esconder uma perda gestacional. Mas sim porque estava em negação, com a sensação de tenho de me proteger a mim, porque isto pode acontecer de novo… eu posso vir a perder de novo, e avisei que se perdesse de novo, encerrava a loja por ali e ia para a adopção.

A OB super confiante, ouvi o bater do coração do bebé, da outra não deixou porque desconfiou, e marcou os exames e eco do primeiro trimestre… falou de novo com o colega supostamente só para me dar aspirina e ele foi mais longe na prevenção e deu-me heparina, que tenho de injectar diariamente até ao fim da gravidez acho eu.

Fico cheia de marcas e nódoas negras, e na praia todos olhavam, sangrei várias vezes na praia sempre que ia a água do local das picas… enfim nem quero imaginar o que pensavam de mim, mas esconder-me em casa estava fora de questão.

Chegou a maldita consulta das 9 semanas (foi por esta data em Fevereiro que ouvi que tinha uma aborto retido), já é uma consulta de alto risco obstétrico devido ao historial e as ditas heparinas e aspirinas… a tensão a disparar, nervos…. e tudo a correr bem…. respirei de alívio até porque os sintomas tinham desaparecido tal como da outra vez… só era visível a grande barriga.

Não escondi a gravidez, contei às 6 semanas a família, às 9 semanas aos amigos próximos e no trabalho contei logo as 6 semanas… mas de tão séptica que estava havia muita gente que me perguntava se eu estava feliz, estava mas não queria…. a tanta coisa em jogo…. Lembro de fazer o teste e de nem acordar o B com o resultado como das outras 3 vezes, quando me perguntou pelo teste disse está ali, e ele muito admirado a espera de um negativo e vê um positivo. E respondi se tivesse que fazer uma festa sempre, já é a 4ª vez e espero que seja a última.

 

Dia 14 de setembro dia da eco morfológica, dia que nunca mais chegava, chegou e ali está o nosso bebé, aquele que a M insiste que é um mano, apesar de antes dizer que queria uma mana. Coração a bater e perfeito, com mais uns dias do que o pensado, estaria supostamente de 12 e uns 4 dias e estava de 13+1 semanas. Agora falta vir o rastreio bioquímico que já nos avisaram pode dar possível fraco positivo para trissomias tal como deu a M, e a explicação é que é a placenta que segrega as ditas hormonas quantificadas neste teste e a minha placenta não é igual a das outras mulheres sem este problema…. por isso calculo que tenha de decidir nos próximos dias se faço ou não a amniocentese ou o teste de sangue caro da Harmony, sim veem já me estou a mentalizar para o próximo susto.

Bem, só para acrescentar entretanto repeti os exames para confirmar a dita síndrome e o valor manteve-se igual, estando grávida ou não eu tenho um fraco positivo… logo pode se confirmar que tenho o dito problema...e que tenho duas estrelas no céu porque não sabia que tinha um problema de fertilidade…. mas isso são águas passadas e agora é tentar livrar-me do fantasma que carrego às costas e pensar que tudo vai correr bem…. E sim a ignorância é uma bênção nestes casos eu que sou da área da saúde e para além disso passei o que passei e gostava mesmo de ser ignorante...

IMG_20160914_213942.jpg

 

IMG_20160915_161138.jpg

 

3 comentários

Comentar post