Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Special Things by Me

Um blog sobre ser mãe, mulher e esposa. Um blog sobre os desafios da maternidade, sobre alimentação especial, um blog sobre tudo e sobre nada.

Sério se não tem nada de simpático para dizer não digam nada.

Eu lembro-me bem de estar grávida, e de espantem-se a barriga durante o dia estar mais lisa e ao final do dia estar muito maior. Algo muito comum nas grávidas. Chama-se retenção de fluidos e de outras coisas lindas ahaha...

Todas as mulheres acordam com a barriga mais lisa e ao final do dia tem geralmente um inchaço nessa zona.... agora juntar a isso um bebé e o aumento de fluidos e retenção maiores, vêem grandes flutuações na barriga de grávida... Ao ponto de eu tirar fotos de manhã à barriga e a minha irmã dizer está mais pequena que no outro dia... e eu mandar a noite e ela dizer - afinal esta do mesmo tamanho. 

Mas se calhar eu enganei o mundo todo e usei uma barriga de aluguer... e os 14 kg que engordei foi para disfarçar...e o parto também... tudo para enganar o mundo. 

 

A Mãe que toda a gente acha criminosa

Eu simplesmente noto nela um amor profundo pelos filhos mas que infelizmente o vício é mais forte que ela. 

Reparem se ela não amasse o bebé não tinha fugido com ele, teve medo que lho retirassem tal como já tinham feito anteriormente. 

Volta ao hospital porque sabe que o bebé não está bem e mesmo arriscando-se a ficar presa, volta e entrega-o em mãos... podia tê-lo deixado em qualquer contentor de lixo ou porta de uma esquadra... mas não volta com ele para o hospital na esperança de saber se ele vai ficar bem.... 

E isto é amor de mãe.... só espero que ela tenha forças suficientes para largar o vício e recuperar a vida e os filhos. 

Alguém com um dicionário de bebé?

Curiosidade dos pais.... o que raio é TITA sério... nem eu nem o pai conseguem entender o que ela quer dizer com aquilo, mas passa boa parte do dia a dizer TITA TITA. 

 

Depois ontem fui buscar a M e ao por no carro ela aponta para a bagageira e diz olha ali blablabla e eu diz mor olha o que e ela toda contente dizia que sim... e eu mas a mamã não entendeu e ela de novo olha ali blablala e a apontar para a bagageira... repetiu 4 x e desatou a chorar de desgosto porque eu não a entendi... lá fui buscar a TUTU mas ela tinha um ar tão triste que nem a TUTU lhe trouxe alegria para o rosto.  

 

Depois para todo o lado que vejo só vejo bebés em que os pais dizem consegues dizer XPTO e eles repetem... a minha nem as palavras que sabe as repete se pedirmos... 

Cheira-me que tem cá uma personalidade... ai se tem... 

Maternidade tardia

Desde pequena que me lembro que queria ser igual a minha mãe, ser dona de casa, cuidar dos filhos e estar lá para eles. 

Desde cedo que a sociedade me pressionou para trabalhar e ter uma profissão. 

Depois existiu a pressão de tirar uma licenciatura que dê-se futuro e rendimentos, o pior erro da minha vida, porque assumo hoje que tirei a licenciatura errada. Adorei o que tirei mas em termos práticos serviu para muito pouco. 

Hoje em dia sinto-me como uma allien porque não tenho grande ambição profissional. Não gosto de desafios nem de pressões. Sim gosto de trabalhar e de me sentir útil, mas não gosto das exigências que me fazem que vão para além do meu trabalho, obrigando-me a estudar mais e a despender horas privadas nisso. Em algo que não vai contribuir em nada para melhorar o meu desempenho nem ajudar a produtividade. É o exigir por exigir porque é giro. 

Estou num local de trabalho onde vejo que as pessoas já não ficam pela licenciatura, a seguir é o pós-graduação, mais um mestrado, mais uma pós-graduação... Umas a seguir as outras... propinas para pagar, exigência laboral e o ordenado na mesma. E eu questiono-me sempre que mais valia aqueles conhecimentos lhes trazem a nível profissional. Muito poucos. 

Não sou contra a pessoa querer valorizar-se ou apreender mais ou ter outros conhecimentos. Sou contra quando sinto que as pessoas fazem muitas vezes por pressão. Lembro-me de um dia uma colega dizer que não podia fazer a pós graduação porque financeiramente não conseguia suportar as despesas. Mas ao fim de 2 semanas já se tinha inscrito na dita. 

Vejo médicos e vejo também a mesma exigência a seres lhe imposta, estudos e trabalhos para trás e para diante, enterrem a cabeça nos livros.... será que isso lhes faz deles médicos mais humanos e competentes ou bibliotecas ambulantes?! 

Depois leio este post... e concordo em tudo o que foi dito, que sim noto que tenho uma grande cumplicidade com as médicas que me seguem, porque muitas são mães e algumas a pouco tempo. E acabamos sempre por falar deles e todas nós temos os mesmos sentimos em relação aos nossos filhos. 

Noto mesmo que médicos que já são pais ou foram pais a pouco tempo são muito mais humanos, não me esqueço do meu cirurgião que pediu a equipa dele para vir me operar as 8 da noite, para eu ir ter com a minha filha o mais depressa possível. 

O que será da nossa sociedade se cada vez mais mulheres fruto da pressão da sociedade ambiciosa e materialista, tiverem os filhos cada vez mais tarde. 

Quantas colegas tenho eu com 30 anos e pergunto e filhos queres, sim mas não para agora, ainda tenho muito que visitar e ainda quero avançar mais nos estudos ou na carreira. Eu pergunto e então quando... respondem aos 35 começo a pensar nisso.

Eu só fico a olhar, se tiverem o primeiro filho aos 35 anos, com 10 anos terão 45 anos de idade. Com essa idade tinha a minha mãe quando eu tinha 18 anos e já sentia que havia muita coisa que ela não entendia por já se ter passado muito tempo. Com 20 anos terão 55 anos de idade e os filhos estarão na faculdade, altura em que é preciso maior apoio financeiro dos pais. Os filhos com 30 anos e os pais com 65 anos... bem se reformarem por aqui e surgirem os primeiros netos ainda conseguem os ver crescer durante algum tempo. A questão é que a sociedade se esquece que a fertilidade da mulher diminui bastante após os 35 anos... e já li que diminui a um rítmo de 5 a 10%. E cada vez a mais mulheres novas com problemas a engravidar quanto mais se esperarem até a essa idade. 

Mas parece me que os avós vão entrar em vias de extinção a este ritmo. 

A minha filha tem 2 avós e um avô vivos... e duas bisavós e um bisavô vivo. Mas quantas crianças tem este luxo de ter os avós por perto ou até de conhecer os bisavós?! 

Na saga dos biquinis

Lembrei-me agora de um incidente na intimissimi... aqui a dita é pequena... aqui a dita é anafada... aqui a dita vai a intimissimi e quem a vem ajudar é um homem lindo de morrer com uma tatuagem de bad boy a  mostrar-se ligeiramente debaixo da manga da t-shirt... Aqui a Je ficou cheia de vergonha por ter de pedir ajuda a um homem a escolher partes de cima... mas lá lhe pedi duas e disse o número...

Agora digam-me lá se não é estranho e intimidador ter um gajo bom numa loja de roupa interior sexy e termos de dizer o nosso número ao dito... 

Epá eu até posso gostar de lavar as vistas meus caros, sou casada mas não cega... mas daí a ter de dizer que tamanho as minhas maminhas tem ao dito gajo bom... é coisa de me deixar a mim toda envergonhada... 

Imaginem se fosse comprar uma conjunto sexy para surpreender o marido e aquele dito gajo bom como tudo me viesse ajudar a escolher... acho que morria ali logo na loja de vergonha... 

Acho que qualquer mulher se sentira constrangida, mesmo tendo um corpalhaço quanto mais eu que sou anafada... 

E só de lembrar que na Women Secret as senhoras da loja vão até ao provador perguntar se gostamos ou se queremos uma opinião... algo normal nestas lojas... e ai o que o dito gajo bom que nem um pão faz?! Chama a colega ou vai ao provedor perguntar se queremos opinião. 

Por acaso não foi, graças a todos os santinhos... mas ainda tive mais vergonha por ter de devolver as partes de cima e dizer que não me serviam mas que não tinha tempo para ver números maiores. Acho que sai de lá vermelha. 

mamas grandes não obrigada

Sempre tive as maminhas pequenas/normais....(34B ou C) daquelas que vamos a qualquer lado comprar um biquíni e ou fato de banho e a única coisa que nos temos de preocupar é se estamos mais ou menos gordas. 

Mas desde que fui mãe (e claro com os kg a mais) que o meu peito ficou muito grande para o meu gosto. Só para o meu entenda-se. Primeiro porque ter peito grande depois de ser mãe não é propriamente igual as revistas da moda lol... principalmente se pensarmos na Cláudia Vieira que tem silicone nas mamas e não deve de ter amamentado por esse mesmo motivo, dos programas de plásticas que vi e vejo os médicos dizem que as vezes não é possível amamentar porque os ductos mamários ficam danificados na cirurgia. 

Então e os motivos porque eu não gosto:

 

1 - A compra do soutien, é um tremendo pesadelo principalmente se como eu tem uma mama um pouco mais volumosa que a outra... fica bem numa mamita a outra fica com uma folga... número abaixo, à uma mama que parece que quer saltar e fugir e a outra fica aconchegada no soutien. 

 

2 -  Peito volumoso acontece que as vezes nos debruçamos para ir apanhar qualquer coisa e quando nos levantamos temos uma fugitivas do soutien... nada mais embaraçante certo... e estou aqui a bufar neste aspecto e a considerar gastar uma pipa de massa num soutien na Dama de Copas só porque tem o serviço de bra fitting (se souberem de outras lojas que o façam no tão bem como esta digam-me please). 

 

3 - A compra de um biquíni é um tormento no que toca as partes de cima... se antes nunca tive esse drama.... mesmo os biquínis de triângulo me ficavam bem... agora é vestir e ver se temos suporte... nada fica tão feito como um peito sem suporte, principalmente se for grande.... e depois é ver se tapa alguma coisa e se não corremos o risco de nos baixar ou mexer e ter uma fugitiva. 

 

Sério, este ano só tinha o fato de banho que comprei o ano passado que me servia... o resto ou estava velho ou as ditas partes de cima não me davam a cobertura desejada. E não é que a 15 dias atrás vou a praia e o dito fato de banho arrebenta na parte superior... ficando eu numa situação caricata de ligar a minha irmã em pânico para ela me trazer um biquíni ou fato de banho para mim... Lá ela me trouxe um que usou quando estava grávida... 

Portanto tive de comprar biquíni para ir a praia... deveria de comprar pelo menos 2... para não acontecer o mesmo que aconteceu ao fato de banho que por excesso de uso e lavagens a mola de fechar o fato de banho rebentou. Mas é que eu já experimentei n partes de cima e até agora só encontrei um biquíni e foi no Jumbo que me servi-se. Sério... na decatlhon eles tem umas partes de cima estranhas com almofadas com enchimento que se nota porque o enchimento é daqueles que se retira ficando tudo estranho, tanto com enchimento como retirando o enchimento. Fui a initimissimi e só encontrei números pequenos 32, 34 e 36 e eu sou claramente um 38 em biquíni em soutien sou 34 copa D. Nessa loja o 36 tapa-me perto de 30% da mama... se calhar é moda, não sei. 

Agora que penso, as tantas deveria de ter comprado dois biquínis de cor diferente no Jumbo e assim não tinha de ir a procura em mais nenhuma loja.... 

Mais alguma menina partilha deste meu drama?! 

 

images (2).jpg

 

Desfralde parte 1

Ontem a M pede cocó e eu já a tinha levado e nada de fazer, então como estávamos a por a mesa para jantar ignoramos um pouco, mas ela continuou a pedir e o B foi lá mas não a tempo já tinha feito. Pedimos lhe desculpa porque foi nossa culpa. Sentamos a na sanita e fizemos uma festa, ela realmente tinha pedido.

Ela diz já esta e eu digo limpa a menina e deixa andar assim a pelota. Ela mexe no rabo e diz coco e vai a fugir e eu vou atrás até a casa de banho e ela não esta. Vou ao quarto a pensar que pedia uma fralda mas agarrou nas calças que tinha vestido hoje. Pensei hm não gosta de estar a pelota. Visto-a e entretanto acabo de jantar e vou brincar com ela... passado nem 5 min olha para mim com um olhar de choque e abanar a perna e eu a pensar ui xixi, mas não vejo nada molhado e de repente vejo algo a cair e felizmente a ficar preso no elástico dos tornozelos da calça. Fez cocó... afinal a M não tinha feito tudo e nós não sabíamos.... sempre a aprender... sempre a aprender.... 

Querido São Pedro

Querido São Pedro, eu hoje dormi muito pouco (graças a M) e acordei muito mal humorada, mas mais ainda fiquei ao ver que o tempo parece de Outono excepto que tenho calor. Preferia um pouco mais de frio mas sol e pouco vento. Dá para me fazer a gentileza?! 

images (1).jpg

 

Ai Amazon isso não se faz

Ontem a fazer umas compras na Amazon.com do meu telemóvel a app perguntou se eu queria ser membro do Prime, ora a uns anos atrás não conseguia ser membro sequer. Fiquei em pulgas, são portes gratuitos, stream de filmes e séries, é a hipótese de pedir emprestado os livros aos autores sem prazo de entrega, desde que peça emprestado um livro do kindle por mês... é ter espaço ilimitado na cloud deles para por as nossas fotos. Enfim as vantagens são enormes pelo preço de 99 dólares por ano. 

Como estou no período de experimentação gratuito, quis então ir ver tudo, ora bem não consigo pedir livros emprestados. Vou a procura por todo o lado e só o pessoal dos EUA tem direito, cabrões, depois vou tentar ver um filme não deixa devido a restrições geográficas. Resumindo para Portugal só temos direito aos portes gratuitos, a cloud e aos descontos exclusivos para membros. 

Depois li noutro dia num jornal que os portugueses já podiam pedir emprestados livros a uma biblioteca virtual, epá ainda não pedi nenhum emprestado porque só temos 14 dias para o ler e estou a ler um no kindle neste momento. Mas quis emprestar os meus livros a minha irmã e descobri que nem um livro tenho com acesso ao empréstimo. É que nem os mais rascas dão para emprestar. 

Estou para ver depois de ler este livro do kindle se consigo pedir algum livro emprestado a essa biblioteca virtual, senão conseguir é mais uma das notícias maldosas por parte a Amazon e dos jornalistas. 

Epá dar esperanças a uma pessoa viciada em livros e depois descobrir que não conseguimos é como darem um chupa a uma criança e quando ela vai para o abrir dizerem ah afinal os totós dos portugueses não tem direito. 

Amazon querida ou tu abres uma filial em Portugal para poder ser prime member no amazon.pt e registar o meu kindle lá.... ou então começas a tentar quebrar barreiras burocráticas e conseguir que os portugueses tenham uma biblioteca virtual ou então consigam emprestar os livros que compraram para o kindle. 

Sim por disponibilizarem o Kindle em Portugal já foi uma grande vitória, mas agora falta o resto tá bem?! 

Lua de mel o fim :D

Bem então no dia seguinte ainda muito moles, porque o ar de Boavista é tão seco e quente que custa respirar e todos os Portugueses andam tipo zoombies e o cansaço de andar é enorme. Tomamos o pequeno almoço e somos informados da palestra do hotel, normas de segurança, não beber nem lavar dentes com água da torneira, podem pedir toda a água que quiserem que aquele hotel não tem limitação de garrafas de água como alguns hotéis de tudo incluído. Como houve muitas chuvadas e havia muitas poças de água e mosquitos, mais do que o habitual, foram nos dado também uma explicação da Dengue e seus sintomas e aconselharam a quem não tivesse a adquirir um repelente na loja de conveniência. 

O B foi muito mordido, mas não foi a Dengue que apanhou nem apanhamos nenhuma gastrite ehehe. 

Entra a seguir o senhor das viagens de turismo da zona e apresentou uns quantos pacotes de actividade, eu e o meu marido quisemos logo a volta a ilha com lanche. E o jantar de lagostas com música ao vivo numa casa típica da ilha. Mas o senhor falou das tartarugas, de como tínhamos acertado na altura da desova em que as tartarugas saiam da água e iam enterrar os seus ovos na praia... e que depois regressavam orientados pelo luar. Esta visita era nocturna claro e saímos antes do jantar e voltávamos por volta da meia noite. 

Eu disse ao marido que queria ir ver as tartarugas, sou fascinada por animais e como até tínhamos orçamento para mais experiências e não havia nada que nos agradasse tanto decidimos ir. 

A viagem a ilha foi um máximo, ir nos jipes de caixa aberta a agarrar as barras laterais para não cair é do melhor, apesar das recomendações apanhei um escaldão enorme.... era impossível não apanhar.... Uma aventura todo o terreno porque para além de haver poucas estradas ainda para mais a maioria estava intransitável devido as chuvadas da semana anterior. Encontramos pessoas conhecidas nessa mesma visita, lá está os Portugueses não vão a lado nenhum sem encontrar algum conhecido :D. Neste caso era a vizinha da minha avó e esteve no mesmo voo que nós, o tal :D. 

Esta foi a nossa primeira vista, a segunda iria ser as tartarugas... o nosso grupo estava despachado... e ficamos uma hora a espera que os jipes nos viessem buscar...o senhor da agência dizia que estavam atrasados porque algumas pessoas estavam a jantar do outro hotel. E nós indignados porque não jantamos porque nos tinham dito que não havia tempo. Apareceram os jipes e quem se atrasou segundo os portugueses do outro hotel foram uns Alemães. Bem lá fomos nós a vigem a noite sem luz é surreal... os jipes iam a uma velocidade furiosa a tentar chegar a tempo... nós aos solavancos só desejávamos chegar vivos, felizmente estes jipes eram fechados, mas não tinham bancos nem cintos. Eu e todos íamos agarrados ao que podíamos, cheguei a ser agarrada por um senhor porque ia caindo ao chão... os Alemães exigiram ficar no banco da frente ao lado do condutor, porque enjoavam.. ahah coitadinhos... 

Chegamos a meio do caminho e dão a volta por ali não podiam ir estava inundado, mais uma volta agora pela areia e pelas dunas, bem nunca tinha andado sob a areia e só posso dizer a sensação é constante de que nos vamos virar, saltar dunas num jipe a noite sem ver nada, o guia a fazer curvas em cima... enfim... lá chegamos vivos ao local e vimos outros grupos a regressar dizendo que era lindo e afins... E nós a pensar bolas perdemos as tartarugas se os outros estão a regressar. Tínhamos de estar quietos e calados, o guia iria a procura da tartaruga com uma luz vermelha, única que podemos usar e quando víssemos a luz a piscar tínhamos de lá ir... ficamos com um guia connosco. Um dos rapazes que ia connosco sente-se mal... fome e dores de cabeça mais enjoo da viagem... felizmente eu tinha o kit comigo, água, aspirina granulada de acção rápida e bolachas... deitamos o rapaz, demos açúcar, depois de recuperar levantou-se e bebeu e comeu e tomou a aspirina e ficou melhor (no dia seguinte estava de cama com uma gastroenterite, lavou os dentes com água da torneira). 

Passou-se uma hora e nós sentados na areia da praia às escuras, sem poder falar, e dá-me vontade de fazer xixi.... digo ao marido e ele diz vai atrás de uma duna, mas eu vou contigo... sim não é seguro ir para lado nenhum sozinho quanto mais às escuras... bem avisamos o guia e o grupo que ficou a olhar para o local onde fui fazer xixi ao ar livre, eu que odeio campismo e afins... e adivinhei sou picada no rabo por uma melga... lol...

Passaram-se duas a 3 horas e o Guia regressa e diz que com muita pena já não há tartarugas... voltamos e andaram ainda mais rápido do que na ida... se achávamos que íamos morrer na ida, à volta então... bem uma aventura autêntica... mas chegamos ao hotel muito desiludidos e felizmente quem ia com o nosso grupo de hotel era advogado e combinamos no dia seguinte falar com o senhor da agência e exigir o nosso dinheiro de volta. Foi nos garantido ver tartarugas e o que vimos foi um rali no deserto. Que a culpa era dos guias que se atrasaram a espera dos Alemães quando deviam de ter seguido sem eles, porque o grupo que saiu da praia quando chegamos, chegaram a praia pelo menos uma hora antes.. o advogado fez questão de lhes perguntar. Sim era um senhor de 40 anos e ele já devia de ter experiência e desconfiou de várias coisas e fez questão de perguntar as pessoas que viu o que viram e quando chegaram. 

Acham que nos devolveram o dinheiro bem aquilo foi uma briga, o advogado português lá conseguiu porque disse que ia abri um processo contra a Soltour que era a agência para a qual eles trabalhavam. E iria conseguir o dinheiro de volta. No final o meu marido propôs que dessem metade do dinheiro, para compensar o atraso... e que assim pelo menos o combustível ficava pago porque até foi uma bela aventura. E lá o senhor ao fim de uma hora e tal a negociar aceitou dar a metade do dinheiro. 

Nesse mesmo dia um dos portugueses com quem almoçávamos e jantávamos em grupo tinha ido dar um passeio e viu uma tartaruga em pleno dia perdida e ajudou-a a por no mar... sério se isto não é gozar com a cara de uma pessoa. 

Na última noite que ficamos iríamos ao jantar de lagostas, bem depois daquilo das tartarugas só pensávamos ui vamos passar fome... só vós digo que ainda me lembro do sabor das lagostas e do bom jantar que foi... e da bebé cabo verdiana que tive ao meu colo e a embalar e que não queria o colo de mais ninguém :D... 

 

E pronto com a caça aos gambozinos acabou-se as nossas aventuras por terras da Boavista... mesmo com tudo o que passamos, voltava lá hoje sem hesitar... e tenciono voltar com os meus filhos, mas que sejam um pouco maiores para aproveitarem e lembrarem-se também :D

Pág. 1/6